O treinador João Henriques deseja diluir a “pequena revolta” dos futebolistas do Moreirense com o primeiro triunfo na I Liga frente ao Belenenses SAD, esta sexta-feira, no jogo de abertura da quarta jornada.

“Todos os períodos são ótimos para ganhar pontos e péssimos para não os conquistar. Temos confiança de que vamos vencer. Ainda não tivemos esse sabor, que até já esteve tão perto de nós. Sentimos essa pequena revolta de que estamos a fazer quase tudo tão bem, mas depois não somos premiados”, frisou o técnico, em conferência de imprensa.

Os ‘cónegos’ abriram o campeonato com derrotas caseiras diante de Benfica (2-1) e Sporting de Braga (3-2), intercaladas com um empate no estádio do Santa Clara (2-2), encarando agora um “encontro complicado” frente a um oponente com três derrotas.

“O Belenenses SAD, à semelhança de nós, teve um início terrível, com duas saídas perante candidatos ao título [FC Porto e Sporting]. O facto de não ter pontos não nos diz absolutamente nada. Na época passada, com o mesmo treinador, fez uma campanha muito boa e deve continuar a ter esse objetivo. Ainda está à procura de se estabilizar, mas a qualquer momento vai pontuar. Desejamos é que não seja nesta ronda”, advertiu.

Admitindo que os ‘azuis’ “estão habituados a andar com a casa às costas”, em função da deslocalização do encontro do Jamor para Leiria, João Henriques sublinhou que uma vitória agregará confiança antes da paragem para os embates das seleções nacionais.

“Sentimos que estamos a crescer a cada jogo. Queremos manter um nível exibicional crescente e acompanhá-lo de pontos que sustentem todo o trabalho feito até agora. Não vamos fazer disto de um jogo de vida ou morte, mas é importante conquistar três pontos para o grupo olhar para a classificação e sentir que está no caminho certo”, observou.

Sem os lesionados Pedro Amador, Nikola Jambor, Galego e Walterson, o Moreirense entrará em campo com o terceiro melhor ataque (cinco golos marcados) e a segunda pior defesa (sete sofridos) da prova, após jogos em que “andou sempre atrás do resultado”.

“Sofremos primeiro e fomos à luta. Não é fácil marcar cinco golos a Benfica, Braga e Santa Clara e isso mostra o grande caráter da equipa e a competência no processo ofensivo. Por outro lado, não estamos satisfeitos com os golos sofridos. Foram situações muito particulares e próprias do início de época. Obviamente, quando se defronta adversários que marcam com meia oportunidade, mais complicado se torna”, analisou.

João Henriques já pode contar com o defesa Rodrigo Conceição, que cumpriu castigo na ronda anterior, na qual viu os ‘cónegos’ “pagarem caro” o atrevimento frente ao rival minhoto, que ainda desperdiçou uma vantagem de dois golos, mas venceu perto do fim.

“Às vezes, a ambição é tanta que faz com que aconteça o que sucedeu. Já não estavam satisfeitos com o empate e queriam ganhar depois daquele esforço todo. Temos de saber equilibrar as coisas, mas é muito bom sentir essa ambição. Quatro pontos nesta fase não são nada de extraordinário, mas também não são maus. É o quanto baste”, finalizou.

O Moreirense, 15.º colocado, com um ponto, visita o Belenenses SAD, 18.º e último, sem pontos, esta sexta-feira, às 19:00, no Estádio Municipal Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, para a quarta jornada da I Liga, com arbitragem de Fábio Melo, da associação do Porto.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.