Jorge Jesus analisou o jogo frente ao Sporting e diz que o fez a diferença foram as transições dos leões (3-1).

"Foram duas partes distintas. A primeira parte, o Benfica foi uma equipa que não conseguiu criar vantagens ofensivas. Nos nossos três avançados tiveram poucas bolas e não fomos a equipa que costumamos ser ofensivamente. Na segunda, curiosamente, criámos mais oportunidades de golos. Estivemos várias vezes próximos de fazer o 1-1, com o João Mário, o Rafa. E na segunda parte foi um pouco isso, a diferença foi quem teve a oportunidade e fez golo e quem teve e não fez. Duas partes distintas. A primeira, com o Sporting defensivamente sem deixar-nos criar chances, mas na segunda o Benfica criou três, quatro oportunidades e não fez. O Sporting esteve bem nos contragolpes e está aqui a diferença no resultado de 3-1", começou por dizer.

Mudanças ao intervalo

"Tínhamos que mexer. Estávamos a perder. Mexer em função de como estava o jogo. Isso que fiz na segunda parte. Os avançados do Benfica tiveram mais a bola, foram mais perigosos a criar oportunidades. Criámos três, quatro chances de fazer golo e isso como é óbvio derivado às mudanças."

Mérito do Sporting

"O Sporting com a vantagem tentou ser uma equipa mais controlada, a controlar mais o resultado que tinha. Mas pronto voltamos à mesma tecla, a diferenciar foi quem fez os golos. Na segunda parte poderíamos ter saído outro resultado e não 3-1. O Sporting teve mérito, sempre que saiu e teve a oportunidade fez o golo."

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.