Um fantástico golo de Luis Díaz deu a vitória ao FC Porto frente ao Santa Clara, em jogo da 8.ª jornada da I Liga. Num jogo marcado por muito vento, a bola andou longe das duas balizas. No primeiro tempo verificava-se apenas um remate enquadrado. O FC Porto passa a somar 16 pontos e sobe ao 2.º lugar da I Liga, embora que a condição. Os dragões ficam à espera de ver o que fazem Benfica e SC Braga

 Contra o vento, marchar, marchar

Se o jogo tivesse começado aos 45 minutos, ninguém estranharia. Porque foi nessa altura que se fez o único remate enquadrado com a baliza na primeira parte. Um das descidas de Manafá pelo corredor direito foi bem sucedida, com o lateral a centrar para um remate acrobático de Luis Díaz. Um golaço fantástico do colombiano.

Antes, tinha-se visto uma luta intensa de 22 jogadores contra a natureza, neste caso o vento mas também a forte chuva que ia caindo no Estádio de São Miguel.

A entrada de Taremi no posto de Marega foi a única modificação efetuada por Sérgio Conceição no onze, em relação à equipa do FC Porto que, há menos de 72 horas, vence em França o Marselha por 2-0 para a Liga dos Campeões.

Num terreno onde venceu quatro dos cinco jogos disputados para a Primeira Liga, os 'dragões' tinham de lutar contra o vento, a chuva e o bloco defensivo muito compacto do Santa Clara, uma caraterística das equipas de Daniel Ramos.

O Santa Clara apostava no contra-ataque, principalmente pelo lado esquerdo do ataque, onde a velocidade de Carlos Júnior era solicitada.

Antes da acrobacia de Luis Díaz sacudir a monotonia do jogo, Grujic tinha colocado a bola no fundo das redes na sequência de um canto de Sérgio Oliveira mas o árbitro assistente assinalou bola fora, aos 43 minutos. Para tentar contraria o vento (o FC Porto jogou contra o vento no primeiro tempo), o médio teve de dar mais curva na bola para que mesma caísse na zona da pequena área.

No minuto anterior o FC Porto ficou a pedir penalti de Villanueva sobre Otávio mas o árbitro João Pinheiro assim não entendeu: o médio entrou na área e centrou, o central, ao escorregar, derrubou Otávio já depois de este ter feito o centro.

Ao intervalo, o FC Porto tinha feito dois remates, um deles enquadrado (o do golo), o Santa Clara três, todos para fora. Muita luta e pouco futebol.

Segurar a vantagem com 'unhas e dentes'

Nos primeiros minutos do segundo tempo o FC Porto tentou que o Santa Clara subisse no terreno e arriscasse mais no ataque mas, mesmo a perder, a equipa não modificava o seu comportamento.

Aas 64 minutos, Sérgio Conceição trocou o amarelado Grujic por Urige e Taremi por Marega. Daniel Ramos lançou Lincoln e Jean Patric nos postos de Costinha e Diogo Salomão. O Santa Clara cresceu no jogo, foi à procura do empate, incomodando mais a defensiva azul-e-branca.

O crescimento dos açorianos deixou o FC Porro desconfortável com a magra vantagem. Carlos Júnior viu Marchesín negar-lhe o golo e depois viu um remate ser bloqueado por Mbemba. A equipa de Daniel Ramos estava a viver o seu melhor período no jogo, a jogar no meio-campo contrário, com o FC Porto a ter dificuldades em controlar a partida com bola.

Nos minutos finais, destaque para um remate perigoso de Otávio, de fora da área, e de um remate de Sérgio Oliveira que Marco defendeu a dois tempos. No outro lado, Marchesin foi chamado para travar os remates de Ukra e Vilanueva em dois lances de bola parada.

Este foi o quinto triunfo consecutivo do FC Porto em todas as provas e o quarto golo seguido sem sofrer golos. Foi também o 12.º triunfo dos dragões frente ao Santa Clara em 13 partidas, a 10.ª consecutiva.

O FC Porto sobe ao 2.º posto, embora que à condição. Soma 16 pontos, mais um que Benfica e SC Braga que ainda não jogaram nesta ronda. Na terça-feira há duelo na Champions frente ao Manchester City.

Veja o resumo do jogo

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.