O Sporting apresentou mais uma edição do seu programa 'ADN de Leão' e, desta feita, o convidado foi o jovem médio Daniel Bragança.

O centrocampista de 22 anos começou por falar sobre como foi a conquista do campeonato nacional na última época e a festa que se seguiu. "Foi brutal, incrível! Foi top! Andava lá maluco", recordou.

Uma conquista que traz, esta temporada, maiores responsabilidades, reconhece Daniel Bragança. "Se os adeptos vão cobrar mais esta época? O título eleva a fasquia para a nova época. A partir de agora tem de ser assim! Agora tem de ser jogo a jogo, com calma", sublinhou.

Bragança falou ainda da posição que ocupa em campo. "Considero-me um médio. Na formação jogava a 6. É algo que depende da tática e das características do jogador, mas por exemplo creio que um oito é um box-to-box, enquanto um dez é mais um jogador entre linhas. Na tática do Sporting, por exemplo, temos dois médios que são dois box-to-box. Cada tática pede tarefas diferentes. Se tiveres um 4-3-3, por exemplo, aí já tens o 6, o 8 e o 10. Na minha formação jogava a seis, mais para a frente comecei a jogar a 8 e a 10", explicou.

A fechar, Daniel Bragança disse-se um jogador de equipa, garantindo não ligar a comentários nas redes sociais ou a distinções individuais. "Melhor em campo? O Pote leva os prémios todos para casa... Não vou para campo obcecado em ser o melhor jogador. Quero é fazer as coisas bem e ganhar. Sei que preciso de evoluir, não preciso que uma pessoa esteja por trás do computador a dizer coisas más. Valorizo quem me diz na cara, como o mister ou o meu pai. Hoje alimenta-se muito o ódio nas redes sociais", terminou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto