Os sócios do Sporting vão votar esta noite, em Assembleia Geral, dois relatórios e contas (o referente a 2019/2020, anteriormente chumbado, e o de 2020/2021), bem como o orçamento para a época desportiva de 2021/22, mas a direção da SAD leonina, liderada por Frederico Varandas, está já a ser alvo de algumas críticas.

Parte delas vêm de Ricardo Oliveira, gestor financeiro que fez parte da lista de Dias Ferreira candidata às últimas eleições do Sporting, em declarações reproduzidas esta quinta-feira no jornal 'A Bola'.

"Enquanto o Sporting continuar a ganhar, vamos conseguir ofuscar problemas sérios que o Sporting que a mim me preocupam muito", começa por dizer Ricardo Oliveira, antes de apontar o aumento do Capital Próprio da SAD e lembrar que o passivo corrente em financiamentos subiu significativamente, para 90,2 milhões de euros. "Onde vão encontrar esse 90 milhões? Mais empréstimos com juros mais alto e continuar a empurrar com a barriga?", questiona.

Há ainda críticas à proposta de remunerações dos membros da SAD, que será depois discutida em nova Assembleia Geral, a 6 de outubro. "Na AG do ano passado definiram-se critérios de prémios, mas não objetivos. Depois houve nova AG extraordinária, mas com resultados desportivos maus nem se atreveram a apresentar a proposta. Agora nesta AG, sabendo que têm maioria, propõem critérios e objetivos e sem os ter aprovado no passado querem receber prémios com os objetivos que vão aprovar. Ou seja, primeiro ganham o campeonato e agora é que querem definir os prémios pelo objetivo. Parece-me no mínimo desonesto", afirma, ainda citado pela mesma publicação, sublinhando que, na sua oppinião, prémios para a Direção da SAD devem ser pelos resultados de gestão financeira e não pelos resultados desportivos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.