A chuva e o vento que fustigaram o Estádio de São Miguel no domingo, deram lugar a um tempo mais aberto esta segunda-feira, sem chuva nem vento. Mas nem com melhor tempo a águia lisboeta foi capaz de voar mais alto no duelo com os açorianos. Na visita ao Santa Clara, o Benfica não foi além de um empate em mais uma exibição pálida do conjunto liderado por Jorge Jesus. Com muita posse de bola, mas sem oportunidades, o único golo dos encarnados foi marcado por Darwin, ainda no primeiro tempo. Já na segunda parte, Fábio Cardoso retomou a igualdade no marcador, resultado que perdurou até ao fim.

O Jogo: Só bola não chega

Numa partida que já vinha desde domingo, Jorge Jesus foi obrigado a mudanças no onze inicial: com o castigo de Otamendi, o Benfica alinhou na Ilha de São Miguel com Ferro no lugar do central argentino, naquela que foi a única alteração nos encarnados face ao jogo da última jornada, frente ao Portimonense. Já Daniel Ramos fez cinco alterações, face ao onze que perdeu na visita a Moreira de Cónegos na 11.ª jornada com as entradas de Crysan, Diogo Salomão, Lincoln, Jean Patric e Néne para a equipa.

Antes da interrupção, no domingo, a única oportunidade de golo era do Santa Clara, que viu o remate de Lincoln ser defendido por Odysseas, no único lance de perigo antes da partida - de forma previsível, tal era a quantidade de água que caía e que já estava no relvado - ser interrompida por Hélder Malheiro.

Uma reunião depois, ficou decidido: segunda-feira, à mesma hora. Curiosamente, nesta altura o tempo tinha dado tréguas e já não chovia, mas adiante...

Segunda-feira, 17 horas em Portugal Continental e na Madeira, menos uma nos Açores: volta a rolar a bola, com o relógio a iniciar nos 4:50 minutos de jogo. O Benfica controlava o jogo, tendo mais bola e não dando grandes hipóteses aos açorianos para responderem. Mas isso não significa que o Benfica estivesse a carregar em cima da equipa da casa: as 'águias' tinham bola, mas oportunidades de golo, nem vê-las. Em boa verdade, o cheiro a golo só se sentiu aos 31 minutos e pelo Santa Clara, quando Jean Patric, após contra-ataque dos açorianos, viu Vertonghen cortar-lhe o remate à baliza de Odysseas.

A jogada terá servido de aviso ao Benfica, que dois minutos depois, no primeiro remate enquadrado à baliza, chegou ao primeiro golo. Boa jogada coletiva dos encarnados, com Darwin a colocar em Waldschmidt que, depois de combinação com Rafa, entrou pela grande área açoriana até cruzar para o avançado uruguaio que só teve de encostar para o fundo da baliza defendida por Marco, à passagem do minuto 33'.

O Benfica ficou perto do segundo, três minutos depois. Rafa, já na grande área e com um grande passe, isolou Waldschmidt à esquerda, cujo remate ficou a centímetros do golo. O lance ainda foi ao VAR por uma possível mão de João Afonso no desvio, mas nada foi assinalado.

O Benfica chegava ao intervalo com uma vantagem que se justificava, apesar das oportunidades não terem sido muitas. O Santa Clara respondia a espaços, mas sem criar grande mossa aos encarnados que controlavam a partida.

A segunda parte não começou da melhor forma: aos 46 minutos, na sequência de um lançamento de linha lateral, Gilberto e Jean Patric chocaram de cabeça, com os dois jogadores a ficarem maltratados e caídos no chão. O jogador do Santa Clara acabou por sair de maca do relvado, enquanto Gilberto deixou o campo pelo próprio pé. Na sequência do lance, os jogadores do Santa Clara ficaram a pedir grande penalidade, mas o jogo seguiu.

A saída de Gilberto afetou a equipa do Benfica, como o próprio Jorge Jesus admitiu na flash, e o Santa Clara começou a crescer e a ter mais iniciativas na partida. Vertonghen, com os seus cortes, evitou males maiores aos 57 e 59 minutos, mas nada pôde fazer aos 60'.

Na sequência de um canto, primeiramente aliviado pela defesa benfiquista, Lincoln bombeia a bola de novo para a grande área, onde apareceu Cryzan com um remate acrobático que acabou por ser desviado pela cabeça de Fábio Cardoso. Estava feito o empate nos Açores.

Depois do golo, o Benfica demorou tempo a reencontrar-se e viu o Santa Clara criar perigo nos minutos seguintes, mas sem sucesso. Só dez minutos depois, aos 70', Marco foi obrigado a intervir para negar o golo a Weigl, depois do cabeceamento do alemão.

Jorge Jesus fez entrar Chiquinho e Ferreyra aos 84', já depois de ter feito entrar Pizzi, recuperado de COVID-19, aos 66 minutos, para dar outro fulgor ao ataque encarnado. O Benfica voltou a ter mais posse de bola nos últimos 15 minutos, mas muita bola sem oportunidades, de pouco serve e o golo acabou por não acontecer. No final o 1-1 registado no Estádio de São Miguel é um resultado justo, tendo em conta o jogo que se viu: um Santa Clara bem organizado, que impediu que um Benfica pouco inspirado fizesse mais que o golo na primeira parte.

Foi o primeiro empate do Benfica na I Liga 20/21, além das duas derrotas já sofridas. O resultado da última tarde significa que o FC Porto passa a ter os mesmos pontos que os encarnados, com vantagem para os portistas pela diferença de golos (+16 vs. +13). O empate deixa ainda a águia mais longe do leão: o Sporting passa agora a contar com quatro pontos de avanço sobre os principais rivais.

O momento: minuto 60 - golo do empate do Santa Clara

O melhor: Fábio Cardoso

Responsável por dois bons cortes que impediram males maiores para o Santa Clara (e neste capítulo, Vertonghen também merece destaque), foi da cabeça do capitão dos açorianos, colocado no sítio certo, que surgiu o golo do empate merecido para o Santa Clara.

O pior: Indefinição encarnada

Mais uma exibição cinzenta, sem critério do Benfica. Existiram momentos bons, como no golo de Darwin, mas no geral o Benfica voltou a mostrar pouco na partida. Apesar da posse de bola, as águias não foram capazes de definir na hora de atacar e contaram com menos de uma mão cheia de verdadeiras oportunidades de golo, sendo uma delas a do tento do avançado uruguaio.

Reações

Daniel Ramos: "O empate é aceitável e ajustado"

Jorge Jesus: "Estamos na 12.ª jornada, há muito campeonato"

Darwin: "Temos que melhorar no momento defensivo"

Fábio Cardoso: "Só estamos tristes porque queríamos os três pontos"

Resumo

*Artigo corrigido às 10h22

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.