Na flash interview à Sport TV depois da vitória frente ao Santa Clara por 0-2 que colocou o FC Porto na liderança provisória do campeonato, o repórter do canal perguntou a Sérgio Conceição se os próximos 45 minutos (em alusão à segunda parte que se faltava jogar no Benfica - Moreirense) seriam de ansiedade.

O técnico dos 'dragões' ignorou essa parte e mostrou-se mais preocupado com o voo de regresso.

"As próximas duas horas de avião vão ser terríveis, para cá apanhamos muita turbulência, calculo que para lá também apanhemos"

O que é certo é que 45 minutos e dois golos na Luz depois (um para cada lado), fizeram com que o FC Porto voasse de volta a casa com mais um ponto que o Benfica, o inverso do voo turbulento que trouxe os 'dragões' aos Açores.

O Jogo: Ferros magnéticos

Sérgio Conceição fez regressar Danilo Pereira à titularidade, algo que não ocorria desde 25 de janeiro, na final da Taça da Liga. Mas esta não foi a única mudança que Conceição fez quando comparado com o último onze apresentado (frente ao Bayer Leverkusen): o técnico portista tirou Luís Díaz, Zé Luís e Uribe para as entradas do médio português, de Soares e de Manafá.

A partida começou morna, com um ascendente mais 'azul-e-branco', contudo o primeiro lance de perigo surgiu da equipa do Santa Clara... contra si mesmo.

João Afonso tentou limpar a bola, mas quase que fazia um auto-golo, apenas evitado pelo ferro.

Os ferros, três simples barras presas entre si, imóveis, mas que tanta diferença podem fazer.

Isto porque depois do auto-golo evitado pelo poste, foi a vez da barra aparecer em auxilio, desta vez do FC Porto.

Aos 32 minutos, depois de falta marcada à entrada da área, Costinha marcou um livre direto que foi bater na barra que tirou aquele que seria o primeiro golo do jogo.

A barra surgiu numa altura em que o Santa Clara se mostrava muito perigoso nas bolas paradas, o tipo de lance em que os açorianos mais perigo causaram durante os 90 minutos.

Depois do ferro ter evitado dois golos, foi a vez de dar aquele subtil toque que confirmou o primeiro golo da partida.

Manafá tabelou com Sérgio Oliveira aos 37' e arrancou, deixando toda a defesa do Santa Clara para trás e rematando ao canto inferior esquerdo da baliza açoriana, com a bola a fazer ricochete no poste e a dirigir-se para o fundo das redes.

Aos 43 minutos, a polémica do jogo: Manafá faz falta sobre Costinha e Carlos Xistra, juíz da partida, foi peremptório a dar um vermelho direto ao jogador do FC Porto.

A contestação pelo exagero da decisão rodeou o árbitro que imediatamente fez sinal de que estaria a receber informações do VAR. Depois da visualização das imagens, Xistra voltou atrás e o vermelho, passou a amarelo.

Os primeiros 45 minutos terminavam com um resultado que se adequava à eficácia 'azul-e-branca' e castigava a falta de pontaria (ou o excesso dela) dos açorianos.

Na segunda parte o Santa Clara voltou a cheirar o golo, na primeira grande ocasião do segundo tempo, novamente por bola parada: Lincoln, na marcação de um livre direto atirou a bola diretamente ao poste da baliza de Marchesín que já estava batido, aos 54 minutos.

O Santa Clara tomava mais a iniciativa do jogo, mas a troco disso deixava mais espaços ao FC Porto que ia provocando perigo, até ter uma oportunidade soberana.

No minuto 68, Marco ao fazer-se à bola, acaba por atingir Otávio (que ficou uma marca bem visivel na testa) com o joelho dentro da grande área, falta e grande penalidade para o FC Porto.

Alex Telles é chamado à marcação do castigo máximo, mas eis que surge... o poste, pela quarta vez.

O lateral atirou com estrondo ao ferro, aos 71 minutos e desperdiçou a oportunidade de marcar o segundo do FC Porto.

O segundo, que não demorou muito a chegar. Marcano, depois da marcação de livre por Sérgio Oliveira, cabeceou e fez o 0-2 para o FC Porto aos 76'.

Dois golos que colocaram o FC Porto numa liderança provisória (com mais um ponto) que poderia ter sido de menos de uma hora, com o Benfica a defrontar o Moreirense em casa (0-0 na altura do final do jogo dos 'dragões').

Contudo, em Lisboa, confirmou-se o empate do Benfica (1-1) e a liderança esticou-se pelo menos até sábado.

Uma liderança que vai dar a Sérgio Conceição uma viagem de regresso descansada, com a turbulência de outras viagens a ficar lá para trás.

A figura: Sérgio Oliveira

Bem na defesa e a ajudar no ataque, o médio de 27 anos foi fulcral na vitória do FC Porto, assistindo Manafá e Marcano para os dois golos dos 'dragões' nos Açores.

O momento: Minuto 37, golo de Manafá

A arrancada do defesa 'portista' partiu a defesa do Santa Clara e irrompeu pela grande área para fazer o golo inaugural. Destaque ainda para a combinação com Sérgio Oliveira.

Reações

Sérgio Conceição: "É difícil lidar com aquilo que está em torno do futebol"

Sérgio Oliveira: "FC Porto é capaz de ganhar todos os jogos"

Lincoln: "Fomos superiores ao FC Porto em alguns momentos"

João Henriques: "A equipa está a crescer de dia para dia"

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto