Durante uma entrevista, o antigo treinador do Arsenal comentou o regresso de Cristiano Ronaldo ao Manchester United, referindo que esta transferência não aconteceu apenas por motivos desportivos.

"Não foram só razões meramente desportivas, foram também emocionais. Não me parece que a decisão tenha sido 100% racional. Encontrar um equilíbrio na equipa é um grande desafio. Os jogadores mais experientes conseguem marcar muitos golos", afirmou Arsene Wenger, em declarações ao jornal alemão BILD, reproduzidas pelo site Mais Futebol.

O treinador francês, que treinou o Arsenal de 1996 a 2018, sublinhou a importância do papel de Sir Alex Ferguson em todo o processo.

"Penso que Sir Alex desempenhou um grande papel. Ele [Ronaldo] devia ter ido para Arsenal na altura [2003] e Ferguson levou-o para longe de mim. Agora, fê-lo com o City. Ronaldo estava no nosso campo de treino e já vestia uma camisola do Arsenal. Mas, nessa altura, Carlos Queiroz era o assistente de Sir Alex e convenceu-o a comprar o Ronaldo, à época com 18 anos. Só podíamos pagar quatro milhões de euros. O Manchester United pagou 12…", disse Wenger.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.