O ministro dos Negócios Estrangeiros confirmou hoje contactos com o governo britânico sobre a venda do Chelsea, controlado por Roman Abramovich até às sanções internacionais pela invasão da Ucrânia, com João Gomes Cravinho a garantir que são para aplicar.

“Em relação ao Chelsea, naturalmente que há aqui um ponto absolutamente fundamental: Portugal aplica as sanções que foram decretadas pela União Europeia. Nós fazemo-lo de forma rigorosa, fazemo-lo sem exceções, e é assim que nós aplicamos as sanções, é assim que nós vamos continuar a aplicar as sanções”, afirmou o chefe da diplomacia de Portugal, questionado pelos jornalistas à margem da visita que está a realizar à ilha de Santo Antão, Cabo Verde.

Em causa está a venda do clube Chelsea ao grupo liderado por Todd Boehly, coproprietário da equipa de basebol dos Los Angeles Dodgers, que segundo a imprensa britânica deverá ser fechada nas próximas 24 horas, por cerca de 4,25 mil milhões de libras (4,9 mil milhões de euros).

Contudo, como Roman Abramovich detém um passaporte português, as autoridades portuguesas terão também de autorizar o negócio, conforme noticiou na segunda-feira a BBC.

“O governo britânico está a estudar possibilidades de alienação daquilo que é, neste momento, propriedade de uma pessoa que está sob lista de sanções. Obviamente, estamos em diálogo com o governo britânico, estamos em diálogo com a Comissão Europeia, mas seremos intransigentes na aplicação das nossas obrigações jurídicas”, afirmou João Gomes Cravinho.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.