A recusa da vacina contra a COVID-19 poderá deixar os clubes da Premier League em maus lençóis no inverno. De acordo com o 'Daily Mail', alguns clubes temem o caos já que muitos jogadores recusam-se ser vacinados contra a doença.

Alguns clubes estão preocupados porque temem o surgimento de surtos, com o aproximar do inverno. Quem não estiver vacinado, estará mais suscetível de contrair a doença.

Entre os emblemas com vacinação mais completa estão o Wolverhampton, o Leeds e o Brentford, que dizem ter 98 a 100 por cento dos planteis com vacinação completa. Mas diz a mesma fonte que a situação é bem pior noutros lados e que há dois clubes de topo com apenas seis jogadores vacinados. Só 30 a 35 por cento dos futebolistas da Liga Inglesa aderiram a vacinação contra a COVID-19.

De acordo com o 'Daily Mail', são as equipas em provas da UEFA aquelas com vacinação mais completa por causa das viagens, apesar de existir futebolistas nos seus planteis que se recusam a ser vacinados.

Recentemente, Mikel Arteta, treinador do Arsenal, confessou que havia dificuldades em convencer os jogadores a aderirem a vacinação contra a COVID-19.

Ainda segundo o 'Daily Mail', algumas estrelas da Premier League recusaram participar numa campanha de apelo a vacinação no futebol.

Alguns clubes estão a vacinar primeiro os mais jovens e a deixar a decisão de ser vacinado ou não nas mãos dos jogadores. Apesar dos incentivos por parte dos clubes e dos treinadores, esta é uma decisão pessoal e nem todos os atletas querem a vacina.

O facto de serem testados várias vezes por semana poderá dar-lhes uma sensação de segurança, sem a necessidade de recorrer a vacinação, escreve o 'Daily Mail.'

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.