Ninguém ficou indiferente ao momento em que Cristiano Ronaldo lançou a braçadeira ao chão, depois de o árbitro ter invalidado um golo de Portugal frente à Sérvia, de apuramento para o Mundial2022.

Depois de ter apanhado a braçadeira do relvado do estádio Rajko Mitic, em Belgrado, um funcionário decidiu contactar um canal desportivo para a colocar à venda de forma a angariar dinheiro para ajudar Gavrilo Djurdjevic, um bebé de seis meses que sofre de atrofia muscular espinhal e que precisa de tratamentos com custos da ordem dos dois milhões de euros.

O funcionário em questão chama-se Djordje Vukicevic, um bombeiro de Belgrado que estava a cumprir serviço no estádio Raijko Mitic.

"O Cristiano Ronaldo estava agitado, atirou a braçadeira. Caiu mesmo ao meu lado. Toda a corporação concordou que [a braçadeira] deveria ir para [ajudar] o pequeno Gavrilo", disse Vukicevic à agência Reuters.

A braçadeira está a ser leiloada na plataforma de comércio eletrónico Limundo, na Sérvia. Neste momento, o valor vai em 50 mil euros.

"Nem queríamos acreditar que algumas pessoas, que nem sequer nos conhecem, pegassem na braçadeira, leiloassem-na e ajudassem o nosso filho", disse a mãe de Gavril Djurdjevic.

No último sábado, já em tempo de descontos do encontro, com a partida empatada a dois, depois de Portugal ter estado a vencer por 2-0, Cristiano Ronaldo enviou a bola para a baliza deserta, após ganhar o lance ao guarda-redes adversário, mas o jogador sérvio Mitrovic tirou a bola aparentemente já para lá da linha, só que o golo não foi validado.

Na sequência do lance, Cristiano Ronaldo protestou e atirou com a braçadeira de capitão para o chão.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.