O Manchester City-PSG promete dar que falar nos próximos dias. Os ingleses voltaram a vencer os campeões franceses, agora por 2-0 e estão pela primeira na final da Liga dos Campeões. Depois do 2-1 em França, os comandados de Pep Guardiola voltaram a ser melhores e materializaram a superioridade em campo com dois golos e um punhado de oportunidades.

O jogo foi 'quentinho', com seis amarelos e um vermelho para o PSG e alguma confusão no relvado, principalmente por parte dos franceses.

Quanto aos golos, Mahrez abriu o ativo aos 11 minutos, na recarga a um corte de Florenzi. O lance nasce de um pontapé longo de Ederson (mais um) a isolar Oleksandr Zinchenko na esquerda.

No segundo tempo, o próprio Mahrez fechou as contas do jogo aos 63 minutos, na conclusão a uma grande jogada de contra-ataque dos Citizens, conduzido por Kevin de Bruyne e Phill Foden. O extremo marcou três dos quatro golos dos ingleses nesta eliminatória, deixou Brahimi para trás e ficou a dois tentos de igualar Rabah Madjer como melhor marcador argelino na Liga dos Campeões. O antigo craque do FC Porto, dono do calcanhar em Viena na final da Liga dos Campeões frente ao Bayern Munique, fez 12 golos na prova.

Com o 2-0, os jogadores do PSG perderam a cabeça. Di Maria pisou Fernandinho num lance onde queria fazer um lançamento rápido e foi expulso com vermelho direto. Neymar envolveu-se em picardias, uma delas com Bernardo Silva. Houve várias entradas à margem das leis por parte dos parisienses, frustrados por não conseguirem dar a volta ao texto.

Aliás o árbitro esteve no centro das atenções, com muitas críticas por parte dos jogadores do emblema francês. Marco Verrati e Ander Herrera acusaram o holandês Bjorn Kuipers de os ter insultado.

Aos microfones da RMC Sport, o espanhol afirmou que o árbitro insultou Leandro Paredes durante a partida: "O árbitro disse, 'vai-te fod**' ao Paredes. Falamos de respeito, mas se eu digo isso, levo três ou quatro jogos [de suspensão]".

Também Marco Verratti acusou o árbitro de atitudes menos corretas para consigo durante a partida: "Disse-me, 'vai-te fo***' duas vezes. Se lhe dissesse isso, levava dez jogos [de suspensão]", afirmou.

Sem Mbappé (não saiu do banco porque ainda não estava recuperado), cabia a Neymar liderar os vice-campeões europeus mas o brasileiro passou a maior parte do tempo em picardias e a tentar resolver tudo sozinho. A imprensa francesa 'arrasou' o brasileiro pela sua atuação no Ethiad.

"O Neymar revelou o seu lado obscuro diante do Manchester City, tão insuportável como possível, queria fazer tudo sozinho. À falta de Mbappé entendeu que seria a decidir o jogo. No centro do mundo a seus olhos, aborreceu os companheiros servindo-os muito raramente. O brasileiro aniquilou uma assombrosa quantidade de boas bolas. Além deste egocentrismo, um final horrível onde procurava lastimar fisicamente os citizens. Todos os parisienses se renderam. Foi levado pelas emoções, uma vez mais. Neymar foi catastrófico", escreveu a revista 'France Football'.

Quanto ao jogo, destaque para Rúben Dias, considerado pela UEFA como o Homem do Jogo. O defesa central português fez uma exibição fantástica, secou tudo à sua volta e bloqueou tudo o que era remate à baliza de Ederson. Os ingleses estão rendidos às suas exibições e os 68 milhões de euros pagos ao Benfica no início da época já parecem uma pechincha.

Guardiola está assim de volta a uma final de Liga dos Campeões, 10 anos depois (venceu as duas que disputou com o Barcelona, todos contra o Manchester United). O City pode imitar o Bayern Munique e ser campeão sem derrotas. Esta época, os ingleses venceram 11 jogos e empataram um: só o FC Porto conseguiu travar os citizens e não sofrer golos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.