E se o ponto fraco for Hugo Lloris? Propenso a falhas nesta temporada com o Tottenham, o capitão da seleção francesa irá encarar as críticas nesta terça-feira no jogo da primeira-mão dos quartas de final da Champions contra o Manchester City, que tem na baliza o quase infalível Ederson.

Nada tem saído bem ao capitão do Tottenham nesta temporada. Desde a falha diante de Mario Mandzukic que manchou um pouco o triunfo francês na final do Campeonato do Mundo contra a Croácia (4-2) que o guardião não voltou a levantar a cabeça.

De volta à sua equipa, tudo começou com uma lesão na coxa que o manteve um mês afastado. De seguida acusou positivo num teste de alcoolemia e foi condenado a 20 meses de suspensão sem permissão de conduzir.

Imagem manchada

A principal consequência foi moral, porque o capitão - da França e do Tottenham - teve a sua até então inabalada imagem manchada.

Dentro de campo, Lloris encadeou erros em partidas de máxima exigência, especialmente na Liga dos Campeões.

Em outubro uma saída errada contra o Barcelona fez com que a equipa blaugrana abrisse o marcador, após dois minutos, numa noite de pesadelo (derrota 4-2).

Alguns dias mais tarde, recebeu cartão vermelho após uma forte feia sobre o mexicano 'Chucky' Lozano, no empate (2-2) contra o PSV.

E mais recentemente, a sua falha após um desvio de cabeça de Mohamed Salah que provocou o autogolo de Toby Alderweireld e a derrota de 2-1 em Anfield contra os 'Reds'.

Os erros acumulam-se e a imprensa inglesa já cai em cima do guarda-redes francês.

Desde 2015 Lloris é o guardião que cometeu mais erros que provocaram um penálti ou um golo na Premier League, 25 no total.

E para piorar, seis dos seus erros foram cometidos em partidas importantes, contra equipas do 'Big six'.

No mesmo período, ele tem a segunda melhor porcentagem de defesas (72,77%), só atrás de David De Gea (73,96%). Um número que mostra que o ex-guarda-redes do Lyon segue entre os melhores.

De facto, Lloris teve uma participação excepcional nos oitavos da Champions contra o Borussia Dortmund. No jogo de ida, cinco defesas de grande classe permitiram aos Spurs manterem-se na partida, para finalmente ganharem por 3-0.

O rei do passe

"É meu capitão, um dos melhores guarda-redes do mundo, não há nenhuma dúvida", disse recentemente o seu técnico Mauricio Pochettino. Segundo a imprensa britânica, o argentino não procura um sucessor, apesar dos 32 anos do francês.

Lloris enfrenta agora o City, com o melhor ataque da Premier League e a segunda melhor defesa, graças principalmente à contribuição do seu guarda-redes Ederson.

Considerado outro dos melhores do campeonato inglês, o guardião da seleção brasileira dispõe de autoridade e gosto pelo sacrifício.

Embora a sua principal característica seja que é também um bom jogador com os pés, qualidade necessária dos guarda-redes das equipas dirigidas por Pep Guardiola. O jogador de 25 anos completou com êxito 84,31% dos seus passes desde a chegada a Manchester no início da temporada passada, um percentagem que sobe para 95,43% quando se trata de jogar na metade do campo.

A sua maneira de assumir riscos às vezes assustava Guardiola, que recentemente lembrou que ama Ederson "tal como é".

Como se não bastasse, o brasileiro conta além de tudo com dois passes decisivos nesta temporada.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.