Joaquín, jogador que fez história no Bétis e na seleção espanhola, esteve perto de deixar a carreira de futebolista, numa altura em que pensava mais em miúdas que propriamente no futebol. Tudo mudou depois de uma conversa com o pai e de um ´calduço` que dói até hoje.

"Tinha 16/17 e era a idade de sair e de só pensar nas miúdas. Não queria outra coisa. Um dia levantei-me às 6h30 para ir jogar para Sevilha mas não me apetecia muito.

Chamei o meu pai e disse-lhe: 'Estou farto do futebol e não quero ir jogar. Estou cansado de fazer tantos quilómetros’. Ele respondeu-me para voltar para a cama mas antes que tivesse tempo de lá chegar deu-me um calduço. Ainda hoje me custa virar o pescoço para o lado direito", contou o extremo, no programa ´El Hormiguero`.

O ainda jogador do Bétis acredita que a sua vida mudou nesse instante, porque o pai obrigou-o a enfrentar o problema.

"´Veste-te e entra no carro. Se não queres jogar mais fala com o treinador e com o presidente e diz-lhes que queres desistir`. Lá fui, joguei e não lhes disse o que quer que seja. E pedi desculpa ao meu pai", acrescentou o jogador, agora com 35 anos.

Depois de brilhar no Bétis, Joaquín jogou ainda no Valência, Málaga e Fiorentina. Era conhecido como o ´Figo` espanhol.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto