O Barcelona pode ter dado uma ´machadada forte` nas aspirações do Real Madrid em chegar ao título ao vencerrem no Bernabéu por 3-0. Os catalães alcançaram a vitória 24 no 96 Clássico espanhol disputado no Bernabeu e reforçam a liderança da Liga, com 14 pontos de vantagem sobre os merengues que tem menos um jogo. Messi, Suárez e Aleix Vidal fizeram os golos.

Clássico de quase mil milhões de euros. O melhor dos aperitivos para os amantes do futebol. Espanha e o mundo pararam para ver o desfile de estrelas no lotado Santiago Bernabéu, ´vestido` de gala para um dos jogos mais aguardados do ano. Os ´donos disto tudo´, Cristiano Ronaldo e Messi, num duelo que podia relançar La Liga ou... acabar com ela a meio da época. Um jogo disputado às 13h00 de Espanha, meio dia em Portugal, para poder chegar a 182 países. Mais que Espanha, um clássico do mundo.

Nestes jogos de tensão máxima, onde os pormenores realmente fazem a diferença, os dois técnicos optaram por um estilo mais conservador, tal a importância do encontro. Zidane optou por povoar o meio-campo, deixando Cristiano Ronaldo e Benzema na frente, atuando com um meio-campo criativo, com Modric, Kovacic e Kroos à frente de Casemiro. Do outro lado, Valverde também jogou com os onze pontos de vantagem que tem sobre o Real (mais um jogo), deixando Messi e Luís Suárez sozinhos na frente, com Paulinho a ser o homem que mais vezes aparecia na área para fazer companhia ao uruguaio. Iniesta, Rakitic e Busquets eram os outros homens do meio-campo. Nelson Semedo e André Gomes ficaram no banco.

Tal como na Supertaça, o Real Madrid entrou pressionante, tentando condicionar a saída de bola do Barcelona, pressionando logo à saída da área catalã. Nos primeiros minutos teve sucesso já que o Barcelona quase nunca conseguiu entrar no meio-campo contrário. Neste período apareceu Cristiano Ronaldo que até colocou a bola na baliza, mas estava em fora-de-jogo. Pouco tempo depois, aos 11, falhou um remate certo dentro da área.

O Barcelona só conseguiu sair do ´colete de forças` merengue aos 18 minutos, quando criou o primeiro lance de perigo. No primeiro tempo, o perigo catalão chamava-se Paulinho. O médio brasileiro viu o costa-riquenho Keylor Navas negar-lhe o golo aos 30 e 39 minutos, em dois lances em que aparece Messi pela primeira vez, com dois grandes passes. Antes do intervalo também Ronaldo poderia ter marcado, mas Ter Stegen travou o remate do português com os pés. Depois foi o poste a negar o golo a Benzema. E o clássico terminou empatado nos primeiros 45 minutos.

O segundo tempo é todo do Barcelona. Suárez fez o 1-0 aos 54 minutos, a passe de Sergi Roberto, numa jogada onde os merengues abriram uma avenida enorme pelo meio. Rakitic aproveitou e galgou quase 40 metros com a bola, sem que ninguém o incomodasse. Antes do golo, no mesmo minuto, Navas tinha negado o golo ao avançado blaugrana.

Dez minutos apareceu o lance que sentenciou o jogo: mais uma autoestrada no meio-campo merengue, Messi isolou Suarez que rematou para defesa de Navas. A bola sobrou para o argentino que voltou a dar ao uruguaio rematar. Carvajal fez um primeiro corte, mas Paulinho recargou para golo. O lateral voltou a cortar, mas agora com a mão. Cartão vermelho direto e penálti que Messi não desperdiçou. Era o 25.º golo do argentino frente ao Real Madrid.

Zidane tentou resgatar a equipa e equilibrar o onze, lançando Nacho para lateral, Asensio e Bale para a frente, nos lugares de Casemiro, Benzema e Kovavic. Já Ernesto Valverde lançava os dois portugueses em campo, Nelson Semedo e André Gomes, para atuarem nas alas, um pouco adiantados no terreno. Com mais espaço para a atacar, os catalães dispuseram de várias oportunidades para dilatar a vantagem: André Gomes teve duas chances de marcar, Nelson Semedo viu Navas negar-lhe o golo, pouco tempo depois do costa-riquenho travar um remate de Messi que ia para o fundo da baliza.

Do outro lado era Ter Stegen quem brilhava. O alemão ia dando o corpo às balas nas oportunidades que os merengues iam criando, mesmo a jogar com menos um.
O resultado fina foi fixado por Aleix Vidal, nos descontos, num remate que Navas não conseguiu travar.

O resultado deixa o Barcelona com 45 pontos, mais nove que o segundo, o Atlético Madrid que perdeu na sexta-feira com o Espanhol. O Real Madrid tem menos um jogo, mas já está a 14 pontos dos catalães. Esta foi a terceira vitória seguida do Barcelona em casa do Real Madrid.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.