Num fim de semana que marcou o fecho da maior parte das principais Ligas nacionais dos vários países europeus, foram muitos os futebolistas portugueses a atuar no estrangeiro com motivos para celebrar, seja pela conquista de ambicionados títulos e Taças, pelo apuramento para diferentes competições europeias, ou por fecharem a época com boas exibições e mais alguns golos.

O SAPO Desporto resume-lhe o que de melhor fizeram os jogadores portugueses lá fora nos últimos dias.

João Félix e Atlético de Madrid festejaram o título em Espanha

A decisão do título de campeão em Espanha durou até à última jornada, esta temporada, mas acabou por sorrir ao Atlético de Madrid, com João Félix a festejar o seu primeiro troféu em Espanha.

Análise: Atlético de Madrid de João Félix segura vantagem e sagra-se campeão
Análise: Atlético de Madrid de João Félix segura vantagem e sagra-se campeão
Ver artigo

O atacante português saltou do banco aos 63 minutos, numa altura em que o marcador ainda estava empatado a um golo frente ao Valladolid, e quatro minutos mais tarde viu, já em campo, Luís Suárez marcar o golo que valeu em definitivo a conquista da La Liga aos 'colchoneros'. João Félix terminou a temporada com dez golos em 40 jogos no conjunto de todas as competições. Do lado do Valladolid, Jota foi também suplente utilizado, mas não conseguiu evitar a derrota e a consequente descida de escalão da sua equipa.

Noutros jogos, Thierry Correia e Gonçalo Guedes foram titulares no fecho de campanha do Valência (0-0 na visita ao Huesca) e William Carvalho foi suplente utilizado no triunfo (3-2) do Bétis em casa do Celta de Vigo, com a turma andaluz a garantir uma vaga europeia. Por fim, num embate com portugueses titulares dos dois lados, Paulo Oliveira e Rafa Soares não conseguiram travar Francisco Trincão e o Barcelona.

José Fonte, Tiago Djaló, Renato Sanches e Xeka fizeram a festa em França

Em França, na decisão da Ligue 1, também houve sotaque português na festa do título. O Lille conseguiu resistir e segurar mesmo a conquista do (inesperado) título de campeão francês, acabando com o reinado de três anos do PSG.

Com Tiago Djaló e Renato Sanches de início e Xeka a entrar na segunda parte (José Fonte ficou de fora), o Lille somou a vitória de que precisava na visita ao Angers (que teve Mathias Lage a titular) e celebrou o seu primeiro título desde 2010/11. Renato Sanches fez mesmo a assistência que abriu caminho ao triunfo por 2-1. Já José Fonte não alinhou na derradeira jornada, devido a castigo, mas foi eleito para a equipa ideal da prova.

Danilo foi titular na vitória do PSG, mas o triunfo não chegou para valer a revalidação do título, enquanto Gelson Martins também jogou de início no empate (0-0) do Mónaco em Lens, resultado que garantiu ao conjunto do principado monegasco um lugar na Liga dos Campeões. De fora da Champions ficaram Anthony Lopes e o Lyon, com o guarda-redes luso titular na derrota caseira por 3-2 ante um Nice que contou com Rony Lopes.

Ronaldo não joga, mas é confirmado como melhor marcador em Itália e Juventus vai à Champions

Na Serie A italiana, Cristiano Ronaldo ficou, com alguma surpresa, no banco de suplentes na vitória por 4-1 em casa do Bolonha, que valeu à Juventus um lugar que já parecia improvável na fase de grupos da próxima edição da Liga dos Campeões. Também no banco da Juve esteve o jovem médio Félix Correia. Ronaldo não chegou a entrar, mas tal não o impediu de se sagrar melhor marcador da prova e fazer história como o primeiro futebolista a vencer o troféu de melhor marcador em três dos cinco principais campeonatos europeus de futebol, repetindo em Itália o que já conseguira em Inglaterra e Espanha.

Ronaldo torna-se o primeiro 'rei' dos golos em três dos cinco 'grandes'
Ronaldo torna-se o primeiro 'rei' dos golos em três dos cinco 'grandes'
Ver artigo

Quem também garantiu lugar na Liga dos Campeões foi o Milan, que com Rafael Leão a titular e Diogo Dalot a saltar do banco venceu por 2-0 no terreno da Atalanta e terminou o campeonato no 2.º lugar, atrás do vizinho e rival Inter. De fora da Champions 21/22 ficaram Mário Rui e o seu Nápoles. O lateral esquerdo português foi suplente utilizado no empate caseiro (1-1) com o Verona de Miguel Veloso (que não saiu do banco).

Já em Génova, Adrien foi suplente utilizado na vitória por 3-0 da Sampdória sobre um Parma onde Bruno Alves acabou por ficar no banco durante todo o encontro. Nota ainda para a Roma, com Paulo Fonseca a conseguir deixar para José Mourinho a turma da capital com uma vaga europeia em 2021/22. Os 'giallorossi' vão estar na nova UEFA Conference League.

André Silva fecha época com mais um golo e como 2.º melhor marcador da Bundesliga

Na Alemanha, André Silva coroou uma época de grande nível com mais um golo, chegando assim aos 28 golos em 32 jogos na Bundesliga esta temporada. O ponta-de-lança português marcou de penálti na vitória por 3-1 do Eintracht Frankfurt sobre o Freiburg e terminou como o 2.º melhor marcador da prova, atrás de Robert Lewandowski e à frente de Erling Haaland.

Haaland que, por seu lado, bisou numa vitória por 3-1 do Dortmund sobre o Bayer Leverkusen na qual Rapahel Guerreiro não saiu do banco. Titular foi Gonçalo Paciência, em mais uma derrota do despromovido Schalke 04.

Jogo de consagração para portugueses do City em Inglaterra, Liverpool de Diogo Jota confirma Champions

Com o Manchesterr City já campeão e ainda com a possibilidade de vencer a Champions no próximo fim de semana, Rúben Dias (o jogador do ano da Premier League) foi titular na vitória por 5-0 sobre o Everton no fecho da prova, num jogo em que Bernardo Silva ficou no banco e João Cancelo não foi convocado. Nos 'toffees', André Gomes e João Virgínia também não saíram do banco.

Os campeões, quem vai à Europa e quem desce: O que ficou decidido nas 'Big Five'
Os campeões, quem vai à Europa e quem desce: O que ficou decidido nas 'Big Five'
Ver artigo

No Liverpool, Diogo Jota regressou após lesão ao saltar do banco já nos descontos do triunfo por 1-0 na receção ao Crystal Palace. Um triunfo que colocou os 'Reds' na fase de grupos da próxima edição da Liga dos Campeões. De fora ficou o Leicester (onde Ricardo Pereira foi suplente utilizado), ao perder 4-2 em casa com o Tottenham.

Destaque ainda para o adeus de Nuno Espírito Santo ao Wolverhampton. O treinador português - que apostou em Rui Patrício, Nélson Semedo, Ruben Neves, João Moutinho e Fábio Silva para o onze inicial - saiu derrotado (1-2) do seu último jogo ao leme dos Wolves. Na receção a um Manchester United que, a pensar na final de quarta-feira da Liga Europa, deixou Bruno Fernandes de fora, o Wolverhampton começou a perder, ainda empatou, graças a um golo de Nélson Semedo (assistido por Fábio Silva), mas acabou derrotado e no 13.º lugar da Premier League.

Vieirinha 'oferece' Taça ao PAOK, Abel deixa fugir Paulistão no Palmeiras

Noutros países, destaque para a final da Taça da Grécia, com vários portugueses em campo e com uma surpresa. O campeão Olympiacos, treinado pelo português Paulo Martins e com José Sá, Rúben Semedo e Bruma no onze inicial, perdeu por 2-1 com o PAOK, onde Vieirinha foi capitão, marcou o primeiro golo (de penálti) e ergueu o troféu. Foi a terceira vez que o internacional português de 35 anos conquistou a Taça da Grécia.

No Brasil, Abel Ferreira deixou escapar o terceiro troféu da temporada (depois da Supertaça Sul-americana e da Supertaça do Brasil), ao perder com o São Paulo na final do Campeonato Paulista. Mas, no na Arábia Saudita houve um treinador português com razões para sorrir: José Morais, que pegou no comando da equipa no início de maio, sagrou-se campeão pelo Al Hilal.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.