O Comité de Recursos da UEFA reduziu o castigo à seleção húngara, de três para dois jogos caseiros à porta fechada, face ao recurso imposto pela federação, devido ao mau comportamento dos adeptos no Euro2020.

Contudo, o segundo encontro fica suspenso durante os próximos dois anos, mas os magiares continuam obrigados a exibir nesses jogos uma faixa com o slogan #EqualGame e com o logótipo da UEFA, assim como a pagar uma multa de 100.000 euros.

A sanção deve-se ao comportamento dos adeptos húngaros durante os encontros no Campeonato da Europa, disputado no último verão, nomeadamente no Hungria-Portugal (0-3), em 15 de junho, na Puskas Arena, em Budapeste, o Hungria-França (1-1), em 19, no mesmo palco, e o Alemanha-Hungria (2-2), em 23, disputado em Munique.

A investigação foi aberta pela UEFA, devido aos cânticos racistas contra jogadores negros da seleção gaulesa e às faixas homofóbicas exibidas nas outras duas partidas da fase de grupos, contra lusos e germânicos.

Conhecido o castigo, em 10 de julho, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Hungria, Péter Szijjártó, classificou, na altura, a sanção da UEFA de "patética" e "cobarde".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.