Lionel Messi passou a ser a ‘solo’ na segunda-feira o jogador com mais internacionalizações pela Argentina, ao somar a 148.ª face à Bolívia, na Copa América, deixando para trás as 147 de Javier Mascherano.

Em embate da quinta e última jornada do Grupo A da Copa América, o futebolista do FC Barcelona, que cumpriu esta semana 34 anos, somou mais um recorde pela ‘albi-celeste’, ele que é há muito o líder da tabela dos marcadores, agora com 74 golos.

Messi, que coincidiu nos catalães com Mascherano entre 2010/11 e 2017/18, foi titular e jogou os 90 minutos no ‘onze’ de Lionel Scaloni, somando uma assistência, para Papu Gómez, aos seis minutos, e dois golos, aos 33 e 42, o primeiro de penálti.

Nascido em Rosário, em 24 de junho de 1987, Lionel Andrés Messi Cuccittini soma 88 vitórias, 34 empates e 26 derrotas pela Argentina, com 75 golos e 42 assistências, faltando-lhe um título, que esteve várias vezes perto de conquistar.

Messi perdeu a final do Mundial de 2014, no Brasil, com a Alemanha, no prolongamento (0-1), e ainda três da Copa América, uma com o Brasil, em 2007 (0-3), e duas com o Chile, em 2015 e 2016, ambas perdidas no desempate por penáltis.

Pela Argentina, o jogador do ‘Barça’ não tem, ainda assim, o palmarés em ‘branco’, pois já conquistou um Mundial de sub-20 (2005) e uma medalha de ouro no torneio de futebol dos Jogos Olímpicos (Pequim2008).

Na tabela dos jogadores com mais encontros, Messi é agora secundado por Mascherano, Javier Zanetti (143), Roberto Ayala (116), Diego Simeone (108), o atual treinador do Atlético de Madrid, e Ángel Di Maria (108), suplente face aos bolivianos.

No que respeita a jogos oficiais, totaliza 101, nos quais somou 57 vitórias, 27 empates e 17 derrotas, com 41 golos marcados 29 assistências.

Apenas na Copa América, que está a disputar pela sexta vez, Messi soma 19 vitórias, nove empates e três derrotas, em 31 jogos, com 12 golos marcados e 14 assistências – três golos e duas assistências nos quatro embates da edição 2021.

Em relação ao total de golos, o ‘10’ soma já mais 19 do que Gabriel Batistuta, segundo da tabela, com 56. O terceiro é Sergio ‘Kun’ Agüero, titular face aos bolivianos, com 42, seguido por Hernan Crespo, com 35, e o ‘eterno’ Diego Maradona, com 34.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto