Carlos Silva, dirigente ligado ao andebol do Vitória de Setúbal, é o único candidato à presidência do clube do Campeonato de Portugal de futebol nas eleições que se realizam segunda-feira.

O jurista, de 61 anos, admitiu à Lusa que não tem “soluções imediatas” para resolver os graves problemas do emblema setubalense, que vai a votos pela terceira vez em 2020.

“O Vitória vive uma situação extremamente difícil. Não há milagres e, por isso, não temos soluções imediatas. Estamos a trabalhar para as encontrar e podemos prometer apenas muito trabalho e vontade em encontrar soluções”, disse.

Por estar consciente das dificuldades que vai encontrar quando for empossado presidente, Carlos Silva, que é sócio do Vitória de Setúbal há 52 anos, não fecha a porta a quem se apresente em condições de liderar o clube.

“Que fique bem claro que se alguém tiver uma solução efetiva e imediata para o Vitória avance. Não criaremos obstáculos. A prioridade é, e será sempre, o clube. Da nossa parte, temos um bom grupo de trabalho em diferentes áreas e prometemos rigor e honestidade”, referiu.

Ao contrário das anteriores eleições de 2020, em que houve cinco e três listas candidatas em janeiro e outubro, respetivamente, o associado número 626 do clube destaca o facto de agora haver apenas uma candidatura.

“É sempre importante haver uma lista com o objetivo de unir os vitorianos, que estavam muito divididos nas últimas eleições devido à existência de várias listas. Esse aspeto nunca seria benéfico para a consolidação do Vitória. Procurámos formar esta lista de consenso para tentar criar estabilidade ao Vitória que bem precisa”, vincou.

Carlos Silva, que jogou andebol no Vitória de Setúbal até aos 39 anos de idade, não tem dúvidas de que a Câmara Municipal e a cidade de Setúbal representam um papel de relevo no futuro do clube.

“A Câmara Municipal de Setúbal sempre desempenhou um papel importante no clube. É uma parte ativa do clube e creio que Vitória, cidade e Câmara são indissociáveis. Apesar de algumas pessoas poderem não o entender, o clube tem sempre de contar com a Câmara, que é sempre um complemento no Vitória”, considerou.

Questionado sobre a forma como pretende dar resposta à resolução do problema dos salários em atraso da equipa principal de futebol, que lidera a série H do Campeonato de Portugal, Carlos Silva afirma que está em busca de soluções não só para o futebol, mas para todo o clube.

“As garantias que darei à equipa de futebol serão exatamente as mesmas que terei de dar a todos os funcionários do clube. Estou a tentar as soluções para poder ajudar todas as situações dos funcionários do clube, incluindo a SAD, equipa de futebol, de andebol e os funcionários do clube. Tudo o que está em atraso estamos a procurar encontrar soluções com os nossos possíveis investidores”, revelou.

Da lista apresentada por Carlos Silva, candidato à direção, fazem parte David Leonardo e João Lopes, respetivamente, candidatos à Mesa da Assembleia-Geral e ao Conselho Fiscal de Disciplinar.

As eleições para a Mesa da Assembleia-Geral, Direção e Conselho Fiscal e Disciplinar do Vitória de Setúbal realizam-se na sala do Bingo, no Estádio do Bonfim, na segunda-feira, entre as 09:00 e as 21:00.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.