O Hoffenheim, da Liga alemã de futebol, vai juntar-se aos clubes ingleses no protesto contra a existência de insultos raciais nas redes sociais e vai fechar as suas contas durante quatro dias, anunciou hoje o emblema germânico.

Entre 30 de abril e 03 de maio, o atual 11.º classificado da Bundesliga vai encerrar as páginas oficiais que tem no Facebook, Twitter e Instagram.

“Infelizmente, as redes sociais tornaram-se num lugar para despejar frustração e ódio. É altura de protestar ativamente a favor da tolerância e pelo respeito”, lê-se num comunicado do Hoffenheim.

O clube lembrou que, recentemente, dois jogadores do atual plantel (Ryan Sessegnon e Diadie Samassekou) foram alvos de ataques racistas na internet.

Hoffenheim junta-se assim aos clubes da Liga inglesa, que na semana passada anunciaram que vão ficar em silêncio nas redes sociais entre as 14:00 de 30 de abril e as 22:59 de 03 de maio.

“Isto é uma resposta aos contínuos e constantes abusos discriminatórios recebidos online por jogadores e muitas outras pessoas ligadas ao futebol”, explicaram os emblemas da Premier League.

Este protesto acontece meses depois dos clubes terem apelado, sem sucesso, aos responsáveis do Twitter e do Facebook que criassem ferramentas para impedir a divulgação de comentários racistas nos seus respetivos sites.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.