Cada vez mais perto de levar o Palmeiras, novamente, a vencer o Brasileirão, Abel Ferreira continua sem desvendar se o seu futuro passa por continuar no Brasil. O técnico português reconhece algum cansaço ao fim de três anos, mas lembra que existe um sentimento de dívida para com o clube brasileiro.

"Na primeira ou na segunda Libertadores disse que ia parar e refletir, como faço todos os anos. Já disse outras vezes que estava de saco cheio, e isso não é mentira nenhuma. É difícil fazer jogos e viagens a cada três dias, ter entidades do futebol brasileiro que insinuam que você é isso ou aquilo. Acham que isso é fácil? São três anos, não três dias. (...) É muito desgastante ser treinador no futebol brasileiro, mas eu não sou ingrato", atirou, para acrescentar de seguida.

"Não está nada definido, vocês sabem. Sabem o que se passa comigo, que tenho contrato. Isso é especulação."

Após nova insistência dos jornalistas presentes, Abel Ferreira evitou falar mais no assunto: "Não vou comentar especulações, vocês sabem como é o futebol brasileiro. Já falei ao longo do ano, há várias especulações, é normal. O mais importante é o jogo mais importante do ano, queremos carimbar este título, porque neste momento não somos campeões e queremos muito ser", começou por dizer, após a vitória sobre o Fluminense.

Recorde-se que recentemente Abel Ferreira foi apontado aos milhões do futebol árabe, com um suposto convite do Al-Sadd, do Catar.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.