Wijnaldum já sabe o que fazer caso venha a ser alvo de racismo no relvado. O jogador holandês do Liverpool promete abandonar o relvado porque, garante, só assim se poderá proteger a vítima.

"Acho que as pessoas deviam abandonar o relvado. É assim que se apoia quem é vítima de racismo. Para quê continuar naquelas condições? Se o jogo continuar isto nunca vai parar, porque vão pensar que o jogo só será interrompido e que depois volta tudo para jogar. Por mim abandono o relvado, porque cenas dessas não deviam acontecer. Cada um terá a sua opinião, mas vejo isso como uma forma de proteger os jogadores", disse o holandês, nascido no Suriname, em declarações à 'CNN Sports'.

As declarações do médio vieram na sequência dos abusos racistas contra alguns jogadores na Liga Holandesa. Na passada jornada, em todos os jogos das duas primeiras divisões do Campeonato Holandês não se jogou o primeiro minuto, como forma de protesto contra o racismo.

Georginio Wijnaldum abordou o caso específico de Mario Balotelli, internacional italiano que é constantemente vítima de racismo no seu país. Até o presidente do Brescia, clube de Balotelli, gozou com o jogador.

"Com ele não é a primeira vez que isso acontece, nem imagino o que deve sentir. Mas porque não apoiá-lo abandonando o relvado? Vão dizer para não os deixarmos entrar na nossa cabeça, mas não imaginam o sofrimento que isso provoca. [...] Muita gente não entende o sofrimento que um negro sente quando é vítima de racismo", completou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.