O ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva, recordou hoje com “grande nostalgia” o antigo futebolista Fernando Chalana, que morreu esta quarta-feira aos 63 anos, lembrando-o como um “génio” que “empolgou o país”.

“Soube dessa notícia com grande tristeza e grande nostalgia. Sou dos muitos portugueses que teve a sorte de ver o Chalana jogar. Há jogadores de futebol e há génios, o Chalana era um génio que se destacava”, considerou Pedro Adão e Silva.

O governante falava aos jornalistas, ao lado do presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva, depois de os dois terem visitado a exposição “Primaveras Estudantis: da crise de 1962 ao 25 de Abril”, que está até ao próximo dia 28 de agosto no Museu Nacional de História Natural e da Ciência, em Lisboa.

Pedro Adão e Silva salientou que a época na qual o antigo futebolista jogou “corresponde a um período do futebol português e da sociedade portuguesa que já não regressa, em que os jogadores permaneciam muitas épocas nos mesmos clubes, em que havia uma ligação entre aquilo que era a origem dos jogadores e a sua presença como jogadores”.

O ministro referiu que atualmente, “os jogadores de futebol vivem numa bolha desde muito jovens e, por isso, não correspondem à mesma imagem social que os jogadores daquela altura tinham”.

“E isso devolve-me a uma relação com o futebol e a uma relação com o jogo diferente daquela que hoje julgo que todos temos”, sustentou.

“Chalana empolgou o país também. Depois de ’66, regressámos às competições, e às fases finais das competições internacionais em ’84 e aquela seleção, que era composta por jogadores de facto notáveis e extraordinários, foi arrastada para uma derrota épica pelo Fernando Chalana”, lembrou.

Pedro Adão e Silva enalteceu ainda a figura de Fernando Chalana como um “jogador de uma singularidade, de uma ligeireza, e que tinha de facto traços únicos, desde logo pela forma como conduzia a bola sem tocar na bola”.

“Eu guardo mesmo muita saudade e tenho a certeza que todos aqueles que gostam de futebol guardam na memória essas imagens únicas do Fernando Chalana”, rematou.

O antigo futebolista Fernando Chalana morreu hoje aos 63 anos, informou nas redes sociais o Benfica, clube no qual o avançado fez grande parte da carreira.

"Fernando Chalana, o nosso Pequeno Genial, faleceu, aos 63 anos, na madrugada desta quarta-feira, 10 de agosto", lê-se numa mensagem dos ‘encarnados’ no Twitter.

Com início da formação no Barreirense, Chalana, 27 vezes internacional por Portugal, chegou ao Benfica em 1974/75, ainda com idade de júnior e mudou-se em 1984/85 para o Bordéus, clube no qual esteve três anos antes de regressar às 'águias', terminando a carreira com uma época no Belenenses (1990/91) e outra no Estrela da Amadora (1991/92).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.