O antigo futebolista internacional português Luís Figo considerou hoje a proposta da FIFA de disputar o campeonato do Mundo de dois em dois anos “uma loucura" e uma ideia de “quem não pensa no bem do futebol".

Luís Figo, que jogou no Sporting, FC Barcelona, Real Madrid e Inter Milão, e chegou a ser candidato à presidência da FIFA em 2015, tendo desistido, reafirmou ainda o seu repúdio para com o projeto da Superliga Europeia, considerando que “não contribui em nada” para o futebol.

O antigo internacional português, em declarações à agência espanhola EFE, não descartou tentar novamente apresentar-se como candidato à presidência da FIFA “se a oportunidade surgir e for a hora”.

Figo, de 48 anos, diz que não faz sentido ter um Mundial de dois em dois anos, quando no atual calendário a cada dois anos há um Europeu e um Mundial, mais as respetivas fases de qualificação, pelo que considera “ridícula” a proposta.

Quanto ao projeto da Superliga, com apenas 10 ou 15 equipas, Figo considera que “não contribui em nada” para o futebol e que, em termos de solidariedade para com outras competições nacionais, femininas e de formação, “destruiria muito do que foi criado nos últimos 75 anos”.

“Ainda penso que temos a melhor competição de clubes, que é a Liga dos Campeões, e não vejo razão para uma outra como a Superliga, para uma elite de apenas 15 equipas”, referiu Figo.

O antigo internacional abordou ainda a ‘final four’ da Liga das Nações, em que Espanha, Itália, Bélgica e França lutarão por suceder a Portugal na lista dos vencedores, considerando-a “de grande qualidade, com as melhores equipas da Europa”.

*Artigo atualizado

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.