Os jogadores do Rayo Vallecano, da segunda divisão do futebol espanhol, recusaram hoje treinar-se como forma de protesto pela decisão do clube de aplicar um Expediente de Regulamentação Temporária de Emprego (ERTE), tendo recebido o apoio do sindicato.

Em comunicado, a Associação de Futebolistas Espanhóis (AFE) disse hoje apoiar a decisão do plantel do Rayo, uma vez que "há dias que os jogadores cumprem uma jornada laboral normal", pelo que o ERTE, um sistema de ‘lay-off’, não se aplica.

A AFE promete apoiar "quaisquer decisões semelhantes" de plantéis que queiram protestar a "vulnerabilização de postos de trabalho".

O plantel do Rayo, no qual se inclui o português Bebé, não se apresentou no centro de estágios dos madrilenos, 11.º classificados da segunda liga antes da suspensão devido à pandemia de covid-19, e os atletas exercitaram-se em suas casas, no que seria o primeiro treino em grupos de 10 jogadores já no relvado, após uma semana de exercícios individuais.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 315.000 mortos e infetou mais de 4,7 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 1,7 milhões de doentes foram considerados curados.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.