Um tribunal de Moscovo condenou hoje o milionário oligarca Ziyavudin Magomedov, fundador do grupo empresarial Summa, a 19 anos de prisão após considerá-lo culpado dos crimes de fraude por desvio de fundos e associação criminosa.

O tribunal impôs ainda restrições à sua liberdade de circulação durante um período de dois anos e uma multa de 2,5 milhões de rublos (cerca de 38.900 euros). Ziyavudin Magomedov foi também destituído das condecorações recebidas no passado, como a Ordem da Amizade e a Ordem de Honra, de acordo com a agência noticiosa Interfax.

O arguido, de 54 anos, será colocado numa prisão de segurança máxima. Magomedov fez grande parte da sua fortuna sob a presidência de Dmitry Medvedev através da empresa Summa, que foi responsável pela realização de grandes projetos, tais como a construção do estádio de Kaliningrado para o Mundial de futebol de 2018.

Foi preso mais tarde nesse ano, juntamente com o seu irmão mais velho, também acusado de fraude e associação criminosa, embora tenha negado consistentemente as acusações.

O estádio de Kaliningrado, chamado Arena Baltika, tornou-se uma fonte de preocupação para os organizadores do Campeonato do Mundo desde o seu início, devido a atrasos no progresso da construção. Em 2017, vários funcionários foram presos por irregularidades nos trabalhos de construção.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.