O Sporting arrecadou a sua terceira Taça da Liga ao bater o SC Braga por 1-0, graças a um golo de Pedro Porro ainda no decorrer da primeira parte. Rúben Amorim continua a ser o treinador detentor da prova, depois ter conquistado o troféu no ano passado, ao serviço do SC Braga.

Dizer que o relvado do Estádio Dr. Magalhães Pessoa estava pesado é dizer pouco. A forte chuvada que caia em Leiria impedia que o relvado drenasse devidamente e não foram poucas as vezes que jogadas de potencial perigo esbarraram numa poça.

Olhando para o jogo possível, as equipas começaram por se tentarem adaptar às condições, apostando nas jogadas aéreas e nas bolas paradas para criar perigo à equipa adversária.

A primeira ocasião de perigo surgiu para o SC Braga, quando o cruzamento de Esgaio desviou em Nuno Mendes e obrigou Adán a esticar-se para evitar males maiores, atirando para canto aos 26 minutos.

O primeiro momento que marcou a primeira parte foi aos 33 minutos e nada teve a ver com o jogo jogado. Depois do que pareceu ser uma uma troca de palavras mais acesa entre Carlos Carvalhal e Rúben Amorim, o árbitro da partida não esteve com meias medidas e deu ordem de expulsão aos dois técnicos.

Numa altura em que o SC Braga estava ligeiramente melhor, foi mesmo o Sporting a chegar ao golo. Depois de falta sobre Coates, a bola acaba nos pés de Pedro Porro que estava descaído à direita e 'invade' a grande área arsenalista para bater Matheus e atirar para o 1-0, aos 41 minutos.

O Sporting ainda viu Pedro Gonçalves ficar próximo do 2-0 aos 45', mas o resultado acabou por não mexer até ao regresso aos balneários.

No recomeço da partida, Carvalhal e Amorim (ambos fora do banco) mexeram nas equipas, com Paulinho a entrar para o lugar de Abel Ruiz nos gverreiros e Nuno Santos a render Jovane nos leões.

O SC Braga começou o segundo tempo a correr atrás do prejuízo, criando mais ocasiões no último terço, mas sem conseguir criar grande perigo a Adán. Pedro Gonçalves voltou a ficar perto de assinar o segundo do Sporting, mas viu o seu remate parado com uma grande defesa de Matheus aos 65'.

Os bracarenses responderam de seguida, com Iuri Medeiros a obrigar Adán a mostrar serviço e a defender o remate do açoriano. Minutos depois, não foi o guardião espanhol mas sim a barra a impedir o golo de Paulinho, aos 71 minutos, com os jogadores leoninos a ficarem à espera de um fora de jogo que não foi assinalado.

Depois das duas oportunidades, o SC Braga estava por cima da partida e começava a encostar o Sporting ao seu meio-campo. Ia valendo à turma de Alvalade a sua defesa e alguma sorte para não sofrer o golo de um SC Braga que se mostrava claramente superior na partida, justificando outro resultado à entrada dos últimos 10 minutos.

Aos 86 minutos, os bracarenses colocaram a bola no fundo da baliza, com Esgaio a aproveitar a defesa incompleta do guardião leonino para atirar para o golo, que acabou invalidado devido a posição irregular do jogador bracarense.

Pedro Gonçalves viu dois amarelos em menos de um minuto e acabou por ver Adán a fazer uma enorme defesa ao livre direto marcado por Novais, aos 97 minutos, no último lance de perigo dos bracarenses.

Apesar do claro ascendente bracarense, o resultado não mexeu com o Sporting a segurar a curta vantagem e a levar de vencido um SC Braga que justificava outro resultado face ao que mostrou em Leiria.

O Sporting conquista o seu primeiro troféu da época e Rúben Amorim volta a vencer a Taça da Liga, competição que tinha vencido no ano passado ao serviço do SC Braga. Os leões conquistaram a sua terceira Taça da Liga, passando a ser o segundo clube que mais venceu a prova com três vitórias, a quatro das sete do Benfica.

 *artigo corrigido às 01h44 de 24 de janeiro de 2021

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.