Jhonder Cádiz espera ter oportunidade para mostrar o seu valor num clube grande. O avançado venezuelano de 23 anos será reforço dos 'encarnados' para a próxima época. De acordo com o jornal Record, o negócio foi intermediado por Paulo Gonçalves, antigo assessor jurídico do Benfica e agora empresário de jogadores, depois de ter deixado o clube na Luz, na sequência do processo 'E-Toupeira'.

De recordar que Paulo Gonçalves vai a julgamento onde vai responder por 29 crimes: um de corrupção ativa, seis de violação de segredo de justiça, 11 de acesso indevido a informação e 11 de violação do dever de sigilo.

O jogador deverá assinar um contrato de cinco temporadas, com o Benfica a pagar três milhões de euros pelo seu passe. Este valor será repartido por Sanjoanense, detentora dos direitos federativos do jogador, Monagas, clube venezuelano que emprestou o avançado aos sadinos e que possui parte do passe e ainda pelo próprio Cádiz, que detém uma parte dos seus direitos económicos.

"Estou preparado para dar o salto para um clube grande, seja Benfica, Sporting e FC Porto", disse Cádiz ao jornal Record, sem revelar, no entanto quando será o seu futuro. "O meu empresário está a conduzir o processo. Ele veio a Portugal para negociar, mas não me disse o clube para não me deixar ansioso", completou.

Diz ainda o Record que o Benfica deverá emprestar o jogador ao SC Braga ou Famalicão. O avançado leva 10 golos em 33 jogos na Primeira Liga pelo Vitória de Setúbal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.