Juri Vips vai manter-se na equipa de Fórmula 2 Hitech, apesar de ter sido despedido pela Red Bull. O jovem estoniano de 21 anos era piloto da Academia da gigante de bebidas energéticas mas soube hoje que tinha sido despedido, depois de ter feito comentários considerados racistas, durante a transmissão de um videojogo online.

Apesar do despedimento da equipa que poderia leva-lo à Fórmula 1, Vips vai manter-se, para já, na Fórmula 2, onde é o atual sétimo colocado, com três pódios e duas pole positions nas seis primeiras corridas.

"Tomei a decisão para que o Juri mantenha o lugar na Hitech até ao fim da época, sendo esta uma decisão que debatemos seriamente. Permitir-lhe completar a época com a Hitech é dar-lhe uma oportunidade para ele demonstrar, através dos seus atos, o tipo de pessoa que é. Deixei claro que aquele tipo de linguagem é totalmente inaceitável, mas opto por dar-lhe a oportunidade para se redimir", disse Oliver Oakes, proprietário da equipa britânica, em comunicado.

Oliver Oakes garantiu que ninguém na Hitech tolera manifestações de cariz racista ou comportamentos ofensivos sob qualquer forma, mas deixou um reparo à sociedade moderna pela sua incapacidade em perdoar os erros de quem mostra arrependimento.

Para o dono da Hitech a decisão da Red Bull em despedir Juri Vips é um castigo muito severo para o estoniano, pelo que o jovem piloto terá agora de "agarrar todas as oportunidades" para mostrar, com atos e não apenas de palavras, que está verdadeiramente arrependido.

"Acredito que todos merecemos uma segunda oportunidade na vida, mas nunca uma terceira. A dignidade, a reputação e a carreira do Juri estão nas mãos dele", finalizou.

Decisão da Hitech não agrada à F2

Quem não gostou da ideia da Hitech foi a Fórmula 2. O organismo mostrou-se surpreendido com a decisão e vincou que essa não teria sido a sua, caso estivesse à frente da equipa britânica.

"Após o recente incidente envolvendo Juri Vips, a F2 gostaria de reafirmar que o uso de linguagem racista ou discriminatória não pode ser tolerado em nenhum ambiente. A decisão da Hitech Grand Prix hoje é surpreendente e não seria uma decisão que teríamos tomado. Vamos acompanhar a situação cuidadosamente com eles para garantir que tal comportamento seja abordado adequadamente", respondeu a F2, em comunicado.

No dia 22 de junho, Juri Vips foi apanhado a dizer as palavras 'bitch nigga', uma terminologia considerada como ofensiva para a comunidade negra, durante uma 'stream' na plataforma 'Twitch' enquanto jogava 'Call of Duty: Warzone'.

A Red Bull suspendeu logo Vips e ordenou rapidamente uma investigação.

"A Red Bull Racing suspendeu o piloto júnior Juri Vips de todas as funções na equipa com efeito imediato enquanto se espera por uma investigação completa ao incidente. Como organização, condenamos o insulto de qualquer tipo e temos uma política de tolerância zero contra linguagem ou comportamentos racistas dentro da equipa", explicou a equipa de Milton Keynes.

Após a investigação, a gigante das bebidas energéticas optou por prescindir dos serviços do piloto da Estónia.

"Em resultado de uma investigação levada a cabo após um incidente na Internet que envolvia Juri Vips, a Oracle Red Bull Racing decidiu terminar o contrato de Juri como piloto de testes e reserva. A equipa não compactua com qualquer forma de racismo", pode-se ler numa nota publicada pela Red Bull nas redes sociais.

Vips apressou-se a pedir desculpas logo a seguir às suas palavras, numa mensagem publicada nas redes sociais.

"Quero pedir desculpa pela linguagem ofensiva utilizada numa transmissão em direto de um videojogo. Esta linguagem é totalmente inaceitável e não retrata os valores e princípios pelos quais me guio. Lamento imenso as minhas ações e o exemplo que não quero dar. Vou cooperar totalmente com a investigação", escreveu na altura, nas redes sociais, o piloto de 21 anos.

É o fim de uma ligação de quatro anos de Juri Vips com a Red Bull. Durante esse período, o jovem estoniano participou nos Mundiais de Fórmula 3 e Fórmula 2, prova de antecâmera de entrada na Fórmula 1 e onde corre pela equipa Hitech.

Vips foi quarto colocado na F3 em 2019, antes de dar o salto para a F2, onde ocupava o sétimo posto. Na época passada foi 6.º no Mundial de F2.

O jovem de 21 anos era também piloto de testes/reserva das equipas Red Bull e Alpha Tauri. No GP de Espanha, por exemplo, andou no RB18 de Checo Pérez nos primeiros treinos livres.

Antes, tinha tido a sua primeira experiência num carro de Fórmula 1 ao guiar um Red Bull durante os testes de final de época no circuito de Yas Marina, em Abu Dhabi, em dezembro de 2021

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.