O tenista canadiano Denis Shapovalov lamentou hoje ter afirmado que os árbitros são corruptos, durante o encontro do Open da Austrália com Rafael Nadal, mas defendeu que quando defronta o espanhol também tem de “competir contra o juiz”.

“O respeito tem certos limites. Não jogas apenas contra ele [Rafael Nadal], também competes contra o juiz. É muito duro e frustrante sobrepores-te a isso tudo”, observou Shapovalov, após o embate dos quartos de final do primeiro ‘Grand Slam’ de 2022 frente ao espanhol, que se impôs por 6-3, 6-4, 4-6, 3-6 e 6-4.

O tenista canadiano, 14.º classificado do ranking mundial, reconheceu ter “errado ao dizer que [os árbitros] são corruptos”, mas reafirmou que “é injusto que Rafa saia impune em situações deste tipo”, em referência à demora do espanhol em retomar a partida.

“Claro que tem tratamento preferencial. Demora imenso tempo entre pontos e ‘sets’ e, por isso, os encontros prolongam-se tanto. E eu tenho de dizer alguma coisa ao juiz, porque estou preparado e o relógio aproxima-se do limite do tempo”, explicou Shapovalov, após mais de quatro horas de confronto.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.