As principais instituições do ténis chegaram a acordo para criar um Programa de Ajuda ao Jogador, destinado a apoiar os jogadores especialmente afetados pelo impacto da pandemia de COVID-19.

A verba afetada chega aos seis milhões de dólares (5,53 milhões de euros) e é suportada pelos circuitos ATP e WTA, a federação internacional (ITF) e os quatros torneios do Grand Slam, ou seja Open da Austrália, Roland Garros, Wimbledon e US Open.

A ATP, que hoje divulga o acordo, considera o programa uma "demonstração positiva da faculdade do desporto se encontrar neste tempo de crise" e garante que o momento é para "colaboração", face a "um desafio sem precedentes”.

O ténis profissional não tem torneios marcados até 13 de julho, o que está a deixar em sérias dificuldades alguns jogadores do circuito, sem proveitos.

A distribuição da verba vai ser feita pela ATP e pela WTA, de uma forma equitativa. Espera-se que sejam beneficiados com iniciativa cerca de 800 jogadores, juntando os praticantes individuais e os de pares.

A iniciativa dos sete promotores poderá ser seguida por outras medidas e conjugada com doações de jogadores e jogos de ténis virtuais.

A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 251 mil mortos e infetou quase 3,6 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Mais de um 1,1 milhões de doentes foram considerados curados.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.