A seleção portuguesa de râguebi tem de ter sempre como objetivo terminar o Europe Championship no melhor lugar possível, advertiu o selecionador Patrice Lagisquet, antes da visita a Espanha, para disputar a última jornada de 2020.

O desafio entre Portugal e Espanha, no domingo, vai decidir o estatuto de vice-campeão do torneio das Seis Nações B, mas os 'Lobos' levam ainda “muitos outros objetivos” na bagagem para Madrid, assumiu o técnico francês em declarações à agência Lusa.

“A este nível, se não tens esse tipo de objetivo, isso é um problema. Mas temos muitos outros. Sempre disse que precisamos de ter entre 45 e 50 jogadores prontos para competir nos próximos dois anos e esta é mais uma oportunidade para testar jogadores a este nível”, exemplificou Lagisquet.

O selecionador está, portanto, de olhos postos já na qualificação para o Mundial de 2023, que arranca dentro de um mês, quando começar o Europe Championship deste ano.

O calendário só ficará definido após a conclusão da última jornada do torneio do ano passado, pelo que este desafio com a Espanha se transforma numa “boa oportunidade para conhecer o verdadeiro nível” português, antes de um mês de preparação para os compromissos de qualificação para o França2023.

“Após os dois jogos com o Brasil, em novembro, percebemos que fizemos alguns progressos, porque conseguimos ganhar os dois jogos usando diferentes estratégias em cada um deles, mas, contra a Espanha, vai ser mais difícil. É uma equipa muito forte, está mais habituada a competir a este nível e vai ser bom para nós percebermos em que nível estamos realmente”, analisou o treinador.

Ainda assim, o ‘Express de Bayonne’ acredita que é possível bater os ‘leones’ no seu reduto e lembra que também “não era suposto ganhar à Roménia” no torneio do ano passado, que Prtugal perdeu “por apenas um ponto com a Rússia” e mesmo com a Geórgia, virtual campeã do torneio, em que esteve a ganhar até aos 68 minutos.

“Acho que é possível ganhar à Espanha e espero que os jogadores acreditem também. Eles têm avançados muito fortes no ‘maul’ [formação espontânea] e uma das chaves vai ser a defesa do maul”, apontou o técnico francês.

Tema incontornável neste momento é a pandemia de covid-19, que já adiou por duas vezes o desafio de domingo e causou outros problemas na preparação.

“Alguns jogadores não estão com o grupo, porque estão em isolamento”, enquanto outros “estão a regressar após terem estado infetados” e “não puderam trabalhar nas últimas semanas”, mas, dadas as circunstâncias, já é positivo o jogo poder, finalmente, realizar-se.

“Os problemas que a pandemia nos coloca são exatamente os mesmos que coloca à Espanha ou às outras seleções. Quando vemos que as autoridades da Bélgica, por exemplo, impediram a seleção de se deslocar à Roménia, já ficamos contentes por, pelo menos, podermos jogar”, desabafou Lagisquet.

Portugal defronta a Espanha no domingo, às 11:45 (hora portuguesa), no Estádio Central da Universidade Complutense de Madrid, em partida da quinta e última jornada do Europe Championship 2020.

As duas seleções estão empatadas no segundo lugar da classificação, com nove pontos, fruto de duas vitórias e duas derrotas nas rondas anteriores.

A Geórgia lidera com 19 pontos e já assegurou o nono título de campeã nos últimos 10 anos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.