O britânico George Russel, piloto da Williams em Fórmula 1 e membro da Mercedes, vai substituir Lewis Hamilton, infetado com COVID-19, no Grande Prémio de Sakhir no Bahrein, anunciaram hoje as equipas.

O jovem piloto inglês da Williams irá assim ter a oportunidade de experimentar o Mercedes-AMG F1 W11 EQ Performance, ele que faz parte do Mercedes-AMG F1 W11 EQ Performance. George Russell, campeão de Fórmula 2 em 2018, já foi piloto de testes da marca alemã na Fórmula 1.

F1: Lewis Hamilton testa positivo para COVID-19 e falha Grande Prémio de Sakhir
F1: Lewis Hamilton testa positivo para COVID-19 e falha Grande Prémio de Sakhir
Ver artigo

"Num ano, poucas pessoas tem a sorte de correr por uma equipa na Fórmula 1. Eu vou ter a oportunidade de correr por dois. Muito obrigado à Mercedes e a Williams por esta oportunidade", escreveu o jovem piloto de 22 anos, nas redes sociais.

George Russel, 22 anos, vai ser substituído na Williams pelo britânico Jack Aitken, 25 anos.

George Russell será apenas o quinto piloto a correr pela Mercedes-AMG Petronas F1 Tem desde 2010 e apenas o terceiro britânico a representar a Mercedes-Benz na Fórmula 1, depois de Sir Stirling Moss e Lewis Hamilton.

O piloto britânico Lewis Hamilton (Mercedes) disse na terça-feira que se encontrava bem e apenas com sintomas leves, depois de ter testado positivo com o novo coronavírus e ficando impedido de participar no Grande Prémio de Sakhir de Fórmula 1.

“Infelizmente, e apesar de na semana passada ter realizado três testes negativos, ontem (segunda-feira) acordei com ligeiros sintomas e pedi um novo teste, que teve resultado positivo. Entrei imediatamente em isolamento”, explicou o britânico através de mensagens nas redes sociais.

Já com o sétimo título de campeão assegurado, Hamilton admitiu estar "triste" por não poder disputar o Grande Prémio de Sakhir, penúltima prova do Mundial, que se disputa no Bahrein, mas garantiu que a própria saúde e a dos que o rodeiam são a "prioridade".

Hamilton, que com a conquista do sétimo Mundial igualou o recorde de títulos na Fórmula 1 que pertencia ao alemão Michael Schumacher, pediu a todos que tomem cuidados para evitar a propagação do novo coronavírus, responsável pela pandemia de covid-19, que já provocou pelo menos 1.468.873 mortos resultantes de mais de 63,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.