A seleção portuguesa de futsal voltou hoje a perder diante da Espanha, por 1-0, somando o segundo desaire tangencial em outros tantos encontros particulares realizados esta semana.

Perante nova casa cheia no Centro de Desportos e Congressos de Matosinhos, a 'roja' decidiu a contenda por intermédio do pivot Juan Emílio, aos 30 minutos, oferecendo o 23.º triunfo em 29 confrontos com as 'quinas', adversário que já tinha batido na segunda-feira, por 2-1.

Os campeões europeus encerraram a fase preparatória para a qualificação do Mundial2020 da Lituânia com duas vitórias, quatro empates e quatro derrotas, antes de medirem forças com Letónia, Alemanha e República Checa no grupo 8 da zona europeia, em Viseu, entre 22 e 27 de outubro.

Tal como sucedeu no primeiro desafio, as duas seleções denotaram intensidade em cada disputa de bola, embora com sinal mais da 'roja' no controlo das operações e nas investidas à baliza de André Sousa - a única novidade no 'cinco' inicial luso.

Adolfo Fernández (08) e Francisco Solano (09) ameaçaram na cara do guarda-redes português, numa fase em que os portugueses demonstravam pouca criatividade a sair para o ataque.

Jorge Braz fez alterações e os seus jogadores começaram a puxar dos galões de campeão europeu, desbravando espaço nas costas do bloco espanhol pelos pés de Márcio.

Aos 12, o ala serviu Tunha, que rematou cruzado ao poste, para um minuto depois desviar de calcanhar um passe de Ricardinho, que Jesús Herrero controlou sem dificuldades.

No reatamento, André Sousa e Jesús Herrero passaram o testemunho a Vítor Hugo e Juanjo, mas o filme do jogo não mudou: Carlos Ortiz quase coroou o recorde de 181 internacionalizações por Espanha aos 25, dois minutos antes de o guardião nacional negar festejos a Solano, numa dupla-defesa a meias com o poste.

A insistência forasteira teve efeitos práticos a 10 minutos do fim, num remate rasteiro à meia-volta de Juan Emílio, que se revelou decisivo para as contas finais.

Portugal tardava em conseguir soltar-se das amarras contrárias, à exceção de uma tentativa de Tiago Brito (27), ala que surgiu na quadra como guarda-redes avançado para os últimos três minutos.

Nesse período, o volume de oportunidades subiu, mas Juanjo destacou-se na oposição ao ataque luso, segurando o triunfo dos vice-campeões europeus.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.