Madjer decidiu colocar um ponto final na carreira de jogador de futebol de praia, aos 43 anos, anunciou o Sporting esta quinta-feira. Para trás ficam 22 anos de uma carreira recheada de títulos.

"Em Dezembro de 2019, Madjer disse adeus à Selecção Nacional após conquistar o seu terceiro Campeonato do Mundo. Em Fevereiro de 2020, o melhor jogador de futebol de praia da história – distinguido pela France Football – termina a sua carreira de Leão ao peito, despedindo-se de todos os Sportinguistas", diz a nota dos leões.

"Com um palmarés que fala por si, Madjer, ao longo da sua extensa carreira, foi cinco vezes melhor do Mundo FIFA; quatro vezes melhor da Europa; três vezes Campeão do Mundo; cinco vezes Campeão Europeu e duas vezes Campeão Nacional pelo Sporting Clube de Portugal. Enquanto Leão, o internacional português realizou 210 jogos e marcou 167 golos", lembra o clube que Madjer representou durante 14 anos.

"O Sporting Clube de Portugal deseja a Madjer as maiores felicidades pessoais e profissionais e manifesta o enorme orgulho em poder ter na sua história o melhor jogador de sempre de futebol de praia. Como o próprio disse recentemente: 'É muito bom ser considerado o melhor de sempre, mas é ainda melhor ser do Sporting Clube de Portugal'. Obrigado por tudo, Campeão!", pode ler-se.

O abandono daquele que foi considerado o melhor jogador de sempre pela revista ‘France Football’ em 2019 foi oficializado também numa entrevista ao ‘Jornal Sporting’.

"Para além de fisicamente já não estar a 100% para acompanhar os ‘miúdos’, já me estava a preparar para terminar e queria terminar com um grande título", referiu o atleta português.

Madjer prepara-se agora para assumir o cargo de coordenador para a modalidade da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

“O antigo internacional, que conquistou, entre outros títulos, três campeonatos do mundo de futebol de praia e marcou mais de 1.000 golos ao serviço da equipa das quinas, vai ser um dos responsáveis pela promoção e desenvolvimento da modalidade em que se notabilizou, passando naturalmente a acompanhar a seleção nacional”, refere a federação, numa nota divulgada no seu site oficial.

Em declarações à FPF, Madjer considerou que o seu ingresso é “um casamento de sonho”, mas assumiu que ainda não se habituou à ideia de abandonar a competição.

“Só faria sentido terminar desta forma. Não vai ser uma mudança muito radical, tenho vindo a ter este papel em alguns clubes por onde passei”, disse, acrescentando: “Ainda não me caiu a ficha de ter parado enquanto atleta, mas com o tempo vou-me preparando para as novas funções”.

Fernando Gomes, presidente da FPF, explicou que Madjer “vai dar toda a sua atenção ao futebol de praia, não só ao nível das seleções, mas também colaborar com a federação naquilo que tem sido a aposta no desenvolvimento do futebol de praia”.

Madjer, que em outubro do ano passado foi considerado o melhor jogador de futebol de praia da história pela revista France Football, conta no seu palmarés com três títulos mundiais, cinco europeus e dois de campeão nacional.

A nível individual, o jogador foi considerado cinco vezes o melhor do mundo pela FIFA e quatro vezes o melhor da Europa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.