O ciclista holandês Fabio Jakobsen regressou hoje aos treinos, três meses após ter sofrido uma queda violenta na Volta à Polónia, que o obrigou a várias intervenções cirúrgicas no rosto.

“Tem sido uma viagem e tanto até agora. Com este ‘post’ quero agradecer a todos os médicos que me ajudaram ao longo do caminho”, escreveu no Twitter o corredor de 24 anos, a legendar uma foto onde surge vestido com o equipamento da Deceuninck-QuickStep, ao lado da namorada, a também ciclista Delore Stougje.

O holandês, vencedor da primeira etapa e da classificação por pontos da Volta ao Algarve deste ano, estende o agradecimento a todos os patrocinadores e à sua equipa pelo apoio dado no seu processo de reabilitação, dizendo-se ansioso pela nova cirurgia a que será submetido em janeiro.

“Entretanto, irei recomeçar os treinos lentamente”, concluiu o vencedor de duas etapas na Volta a Espanha e campeão holandês de 2019.

O jovem ciclista, companheiro do português João Almeida da Deceuninck-QuickStep, sofreu uma queda grave na primeira etapa da Volta à Polónia, em 05 de agosto, quando o compatriota Dylan Groenewegen (Jumbo-Visma) o ‘atirou’ contra as barreiras num ‘sprint’ a 80 km/hora.

Jakobsen, que perdeu todos os dentes, à exceção de um, e teve de levar 130 pontos na face, ficou em estado grave e foi mesmo colocado em coma induzido pelos médicos, ficando internado durante uma semana na unidade de cuidados intensivo do hospital de Santa Bárbara, em Sosnowiec (Polónia).

Posteriormente, foi operado para reconstrução do rosto, tendo-lhe sido retirado um osso da zona pélvica para ser colocado nos maxilares.

A União Ciclista Internacional suspendeu Dylan Groenewegen por nove meses, até maio de 2021, a mais longa sanção aplicada a um corredor sem ser por doping.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.