O treinador Magnus Andersson falou hoje em “choque enorme”, face à morte do guarda-redes Alfredo Quintana, que ocorreu na sexta-feira, aos 32 anos, mas acredita que a equipa de andebol do FC Porto vai “dar o máximo”.

Na antevisão ao encontro de encerramento da fase de grupos da Liga dos Campeões, frente aos noruegueses do Elverum, agendado para quinta-feira, pelas 19:45, o técnico sueco não escondeu o período difícil e de tristeza vivido no seio da equipa ‘azul e branca’.

“Toda a gente sabe que tem sido uma semana terrível para nós. Foi um choque enorme, estamos muito tristes com o que aconteceu. O jogo em si também será dificílimo, não só por jogarmos contra o Elverum, mas porque todas as jornadas da Liga dos Campeões são muito duras”, começou por dizer o Magnus Andersson, em declarações reproduzidas pelo sítio oficial dos ‘dragões’.

Apesar do momento ser bastante delicado, a equipa tem de “focar-se no andebol”, segundo o treinador, de 54 anos, que assegura um FC Porto a “dar o máximo pelo clube e pelo Alfredo Quintana”.

Na noite de terça-feira, a Federação Europeia de Andebol (EHF) decidiu atribuir ao FC Porto a derrota por 10-0 no jogo com o Meshkov Brest, referente ao grupo A, visto que os ‘dragões’ decidiram não viajar para Brest para disputar a partida que estava marcada para domingo, devido à morte de Alfredo Quintana, que sofreu uma paragem cardiorrespiratória num treino dos ‘azuis e brancos'.

O jogo estava inicialmente marcado para quarta-feira, dia 24 de fevereiro, mas foi depois adiado para domingo, 28 de fevereiro.

A uma jornada do fim da fase de grupos, o FC Porto está em sexto lugar do grupo, com 10 pontos. Todas as equipas do grupo vão passar à fase seguinte da competição.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.