O selecionador português de andebol disse hoje que "o céu é o limite", após a qualificação para a ronda principal do Euro2020, o que passa por melhorar o sétimo lugar alcançado em 2000, o zénite da participação nacional.

"O nosso objetivo a partir de agora é melhorar o sétimo lugar, que é a melhor classificação de sempre de Portugal. Para já, estamos nos 12 primeiros, o que é fantástico. E o céu é o limite", afirmou Paulo Pereira, em encontro com os jornalistas na cidade norueguesa de Trondheim, anfitriã do grupo D da fase final do torneio.

O fim do jogo entre Noruega e França, que a equipa da 'casa' venceu por 28-26, proporcionando o apuramento antecipado de Portugal para a segunda fase, foi festejado efusivamente por jogadores e técnicos da equipa nacional, no hotel em Trondheim, onde assistiam à transmissão televisiva.

"É uma satisfação enorme ver a alegria de toda a gente. Estava a ficar cansado a ver o jogo [Noruega-França]. Não me digas que vamos ter de jogar com a Noruega, na Noruega, e ter de ganhar para passar. Ganhar à França, à Bósnia, com os problemas que temos tido, até de saúde, e ter de ganhar à Noruega... Era cansativo e injusto", desabafou.

Portugal, que se impôs na sexta-feira à França (28-25) e hoje à Bósnia (27-24), totaliza quatro pontos, os mesmos da também apurada Noruega, e já não poderá ser apanhado pelas duas seleções que venceu no segundo lugar do agrupamento, o último que proporciona o acesso à ronda principal.

Após 14 anos de ausência, Portugal está a disputar pela sexta vez a fase final do Campeonato da Europa - no qual tem como melhor resultado o sétimo lugar alcançado em 2000, na Croácia -, encerrando a participação na ronda preliminar na terça-feira, frente à Noruega, em Trondheim.

O selecionador nacional concentra-se agora em disputar a vitória no grupo com os noruegueses, no jogo da terceira jornada, recusando "dizer que o segundo lugar está bom", pois é preciso "romper o paradigma das pessoas que ficam satisfeitas com pouco".

"Realmente, não temos ainda quase nada. Temos alguma coisinha, passar à fase seguinte com duas seleções consideradas entre as seis com possibilidade de serem campeãs. Eliminámos uma. É fantástico e depois de amanhã [terça-feira] vamos bater-nos com a outra", observou.

Paulo Pereira não escondeu que a qualificação para a ronda principal do Euro2020 é "uma alegria imensa" e um dos pontos altos da carreira, até porque se trata da "melhor competição de seleções que existe": "Conseguimos passar à fase seguinte com dois ?tubarões' e já qualificados antes do último jogo. É algo de extraordinário."

O guarda-redes Alfredo Quintana, designado o jogador mais valioso no encontro com a Bósnia, também defendeu que Portugal fez "muito bem o trabalho", considerando que o sucesso da equipa nasce "de todas as vezes que fracassou e se conseguiu levantar".

"Estamos muito orgulhosos do que fizemos até agora, mas queremos mais. Vamos preparar o último embate com a Noruega, com vontade de levar dois pontos para o 'main round' [ronda principal]. Acreditamos neste grupo excelente que temos e achamos que é possível", advertiu Pedro Portela.

O ponta-direito da equipa nacional foi hoje o melhor marcador frente à estreante seleção dos Balcãs, com nove golos, mas preferiu destacar a união do grupo de 18 atletas convocados por Paulo Pereira, tal como o central Rui Silva.

"Estávamos muito nervosos a assistir ao jogo [Noruega-França]. É um sentimento incrível. Sempre achámos que podia acontecer, embora sentíssemos que era muito difícil. Após o segundo dia de jogos já termos a certeza de passar à segunda fase é único", enfatizou Rui Silva.

RPC // VR

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.