O português Gilberto Duarte, lateral esquerdo do Montpellier, enalteceu hoje a prudência tida pela federação francesa com o cancelamento do campeonato, face aos “tempos estranhos” provocados pela pandemia de covid-19.

O campeonato francês foi concluído antecipadamente, com a atribuição do título de campeão ao Paris Saint-Germain, que liderava após 18 das 26 jornadas, enquanto o Montpellier se quedou pelo quarto posto, a 13 pontos dos parisienses.

Para Gilberto Duarte, que não jogou durante praticamente três meses, devido a lesão, a época “não foi muito famosa do ponto de vista desportivo”, uma vez que o Montpellier “apontava aos dois primeiros lugares” do campeonato.

O fim precoce da competição “também inviabilizou qualquer possibilidade de recuperação nos jogos que faltavam”, segundo o lateral esquerdo de 29 anos, que tinha regressado recentemente à competição, após recuperar da entorse no joelho esquerdo que o afastou do Europeu de 2020.

Concluído o campeonato, Gilberto Duarte espera o levantamento do estado de emergência em França para regressar a Portugal.

“Tempos muito estranhos os que vivemos”, apontou Gilberto Duarte, reconhecendo que o fim precoce do campeonato foi a solução “mais lógica”, atendendo ao atual cenário de incerteza devido à pandemia de covid-19 e à proteção dos jogadores de possíveis lesões.

Para o internacional português, por muito que se cumpram exercícios físicos em casa, a falta de treino e competição ia exigir uma espécie de pré-época de, pelo menos, um mês para retomar os jogos.

“Além do problema que nos fez chegar a este ponto, que é o perigo de infeção propriamente dito, também há o perigo das lesões, que é preciso acautelar no regresso à competição”, sustentou o jogador do Montpellier.

Gilberto Duarte lesionou-se na receção do Montpellier ao Paris Saint-Germain (34-30), em jogo para a Taça da Liga francesa, em 05 de dezembro de 2019, e regressou à competição na receção aos húngaros do Veszprém (24-23), em 23 de fevereiro, para a fase de grupos da Liga dos Campeões, mas só fez mais quatro jogos, porque, entretanto, a modalidade parou.

Montpellier e FC Porto, clube que Gilberto Duarte representou por nove temporadas (2006/07 a 2015/16), partilharam o Grupo B da Liga dos Campeões, cujos oitavos de final foram cancelados devido à covid-19, avançando a prova diretamente para a ‘final four’, com a consequente eliminação destas duas equipas.

No regresso ao Dragão Arena, em 02 de novembro de 2019, Gilberto Duarte foi decisivo ao apontar o golo do empate do Montpellier (23-23), no derradeiro segundo do encontro, sem que festejasse e quase pedindo desculpa. Em 27 de novembro, o FC Porto foi a França vencer por 27-22.

Longe da família e dos amigos, Gilberto Duarte, que tem contrato com os franceses por mais dois anos, recorre às redes sociais para “manter o contacto” e “disfarçar” a solidão ditada pelo confinamento e o isolamento social.

O jogador, que se afirmou com ‘fome de bola’ e cheio de vontade para voltar ao pavilhão, apresenta um currículo invejável, com destaque para os títulos conquistados durante a temporada de 2018/19 no FC Barcelona, nomeadamente Mundial de Clubes, Liga espanhola, Taça de Espanha, Supertaça e Taça da Liga.

No FC Porto, Gilberto Duarte somou sete campeonatos nacionais, uma Taça e duas Supertaças. O lateral esquerdo, formado no Lagoa AC, representou ainda os polacos do Wisla Plock, nas épocas de 2016/17 e 2017/18, em que não conquistou qualquer troféu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.