O FC Porto foi afastado da final da UEFA Youth League. Os 'dragões' empataram a duas bolas com o Chelsea no tempo regulamentar mas, nas grandes penalidades, os londrinos foram mais eficazes. Diogo Queiroz e João Mário marcaram para os jovens 'dragões', Redan e Grant para o Chelsea, equipa que venceu duas das quatro edições da prova.

Da marca dos onze metros brilhou o guarda-redes Cumming, ele que já tinha defendido quatro 'tiros' na fase anterior da prova. O jovem guarda-redes inglês parou os remates de Diogo Leite, Rui Pires e Diogo Bessa. Diogo Costa defendeu os penáltis de Charlie Brown e James. A final está marcado para segunda-feira, entre o Chelsea e o vencedor do Barcelona - Manchester City.

Para chegar até aqui, o FC Porto teve de vencer o seu gruupo, onde defrontou Mónaco, Besiktas e Leipzig. Os comandos de João Brandão afastaram os atuais campeões, Red Bull Salzburg, por 3-1 nos oitavos-de-final e o Tottenham (2-0) nos quartos-de-final.

A roda do FC Porto, também nos sub-19
A roda do FC Porto, também nos sub-19

Para este jogo com os ingleses, o técnico dos sub-19 do FC Porto tinha uma baixa de peso: Diogo Dalot, defesa direito que foi promovido ao plantel principal (cinco jogos na Youth League, dois golos). O adversário era o menos desejado mas as alternativas (Barcelona e Manchester City) também não seriam 'peras doces'.

Frente a equipa que mais vezes venceu a prova (dois títulos em quatro edições), a formação portuguesa entrou desinibida, discutindo o jogo com os ingleses em todo o campo. O Chelsea ia tendo mais bola mas o FC Porto mostrava mais critério na saída, principalmente pelos médios Romário Baró e Moreto Cassamá. Neste aspeto, destacou-se este último: um jogador de fino trato, muito inteligente, com boa leitura de jogo e muito assertivo no passe.

A equipa inglesa chegou a vantagem aos 29 minutos, num erro do guarda-redes Diogo Costa. McCormick ganhou espaço à entrada da área, tirou dois adversários do caminho e rematou forte mas à figura de Diogo Costa. O guarda-redes portista acabou por deixar a bola escapar para os pés de Redan que atirou para o fundo das redes.

O golo não abalou a formação portuguesa. Empurrado pelos muitos adeptos que marcaram presença no miniestádio do Colovray Sports Centre, a equipa de João Brandão foi à procura do empate, que apareceu aos 40 minutos. Diogo Bessa marcou um canto à direita, Diogo Queiroz saltou mais alto que todos e cabeceou para o fundo da baliza, para delírio de mais de 80 por cento do público nas bancadas, quase todos adeptos dos 'dragões'. Mas antes do intervalo os londrinos podiam ter feito o 2-1 mas Diogo Costa redimiu-se e negou o golo a Sterling, com uma defesa monumental.

No segundo tempo o jogo foi mais partido, com o perigo a rondar as duas balizas. Os londrinos estiveram perto do 2-1 aos 69 minutos por Hudson-Odoi. O jogador do Chelsea antecipou-se à defesa do FC Porto e, na cara de Diogo Costa, e tentou o chapéu, mas a bola saiu ao lado da baliza dos dragões. Nesta altura João Brandão, técnico dos sub-19 do FC Porto, já tinha trocado Moreto Cassamá por Paulo Estrela, que foi fazer um duplo pivot defensivo com Rui Pires.

O Chelsea, que tinha visto Diogo Costa negar o golo a Gallagher aos 72 e o poste travar o remate de Saint Clair, vai ver o FC Porto dar a volta ao marcador aos 81 minutos por João Mário. O extremo marcou na primeira vez que tocou na bola, ele que tinha entrado um minuto antes, para o lugar de Madi Queta. O lance nasce de um contra-ataque, com Iralla a meter em Romário Baró. O remate do médio foi defendido pelo guarda-redes Cumming, para a frente, onde apareceu João Mário a encostar para golo.

Os lodrinos partiram à procura do empate, frente a um FC Porto já desgastado fisicamente. E, fazendo valer o seu maior poderido físico, empatou aos 87 minutos pelo capitão Grant, após Chalobah ter ganho o lance nas alturas, na sequência de um canto. O jogo teve de ser decisido nas grandes penalidades.

Nas grandes penalidades (não há prolongamento nesta Liga dos Campeões da UEFA para jovens),  brilhou  guarda-redes Cumming, ele que já tinha defendido quatro 'tiros' na fase anterior da prova. O jovem guarda-redes inglês parou os remates de Diogo Leite, Rui Pires e Diogo Bessa. Diogo Costa defendeu os penáltis de Charlie Brown e James.

A final está marcado para segunda-feira, entre o Chelsea e o vencedor do Barcelona - Manchester City. A primeira edição da prova foi ganha pelo Barcelona, frente ao Benfica. O Chelsea venceu as duas edições seguintes e, na época passada, ganhou o Red Bull Salzburgo (eliminado esta época pelo FC Porto), frente ao Benfica.

Ficha de jogo:

Jogo no Centro Desportivo de Colovray, em Nyon (Suíça)

Chelsea – FC Porto, 2-2 (5-4 nas grandes penalidades)

Ao intervalo, 1-1.

Marcadores:

1-0, Redan, 29 minutos.

1-1, Diogo Queirós, 40.

1-2, João Mário, 80.

2-2, Grant, 86.
Grandes penalidades:

1-0, Saint Clair

1-1, Estrela

1-1, Brown falha

1-1, Diogo Leite falha

2-1, McCormick

2-2, Mamadu

3-2, Hudson-Odoi

3-3, Maleck

3-3, James falha

3-3, Rui Pires falha

4-3, Chalobah

4-4, Diogo Queirós

5-4, Castillo

5-4, Diogo Bessa falha

Chelsea: Cumming; James, Sterling, Chalobah, Grant, Gallagher, Saint Clair, McCormick, Redan, Hudson-Odoi e Castillo

Suplentes: Bulka, Guehi, Brown, Mceachran, Lamptey, Colley e Uwakwe

Treinador: Joe Edwards

FC Porto: Diogo Costa; Diogo Queirós, Diogo Leite, Pedro Justiniano e Mamadu; Rui Pires, Irala, Cassamá (c), Baró, Ferreira e Madi.

Suplentes: Lameira, Estrela, Maleck, Ricardo, Fidelis, Neto e Lopes

Treinador: João Brandão

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.