Um penálti convertido por Leonardo Ruiz, aos 37 minutos, permitiu hoje ao Estoril Praia derrotar o Felgueiras por um 1-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, e apurar-se para a ronda seguinte.

Numa das raras vezes em que chegou à baliza contrária nos 90 minutos, excetuando os descontos da segunda parte, a equipa da I Liga portuguesa beneficiou de uma abordagem ‘imprudente’ de Danilo sobre Rosier no interior da área felgueirense para garantir o acesso à quarta eliminatória a partir da marca de grande penalidade.

Superior na maior parte do tempo, com lances ofensivos bem ‘gizados’ e um ‘endiabrado’ extremo direito, Zé Leite, a formação da Liga 3 ‘pagou’ a ineficácia com a eliminação, tendo ainda visto Danilo e dois elementos do banco de suplentes serem expulsos nos instantes finais, sob ruidosos protestos dos espetadores numa das bancadas do Estádio Municipal Doutor Machado de Matos.

Com um meio-campo bem coordenado, a ganhar a maioria dos duelos, e um trio de ataque dinâmico, o segundo classificado da Série A do terceiro escalão dominou a primeira parte do início ao fim e chegou ao intervalo a perder.

Depois do ala esquerdo, Henrique Brito, ter enviado o primeiro ‘aviso’ ao minuto seis, com um remate ao lado, foi o outro extremo, Zé Leite, que sobressaiu quer pela criatividade que ‘abalou’ a retaguarda ‘canarinha’, quer pelo desperdício na hora de atirar à baliza à guarda de Thiago Silva.

O jogador de 22 anos falhou a ocasião mais flagrante da primeira parte aos 13 minutos, após contornar Racine Coly e atirar ao lado, isolado, e tentou o golo por mais três vezes: num remate intercetado por um adversário, aos 18, num lance em que falhou o desvio final, aos 27, e num ‘disparo’ cruzado e rasteiro, centímetros ao lado do poste direito, aos 42.

Apesar dos muitos erros na construção de jogo, que permitiram ao Felgueiras vários ataques ‘rápidos’, a equipa treinada por Bruno Pinheiro marcou o único golo do jogo pelo meio, numa grande penalidade que Leonardo Ruiz converteu, atirando para o lado oposto ao escolhido por Raphael Aflalo.

Na segunda parte, os anfitriões continuaram com mais bola, mas sem a mesma vocação desequilibradora dos primeiros 45 minutos, perante um bloco ‘canarinho’ mais organizado, a ‘tapar’ quase sempre os caminhos para a baliza.

Ainda assim, a equipa treinada por Bruno China esteve perto do empate num remate de longe de Paulo Moreira, aos 71 minutos, e em dois cabeceamentos de Isaac Cissé, aos 84 e aos 90+1.

Com o Felgueiras totalmente desposicionado nos instantes finais, a equipa da ‘linha’ de Cascais criou mais perigo nos descontos do que no resto do jogo, desperdiçando três ocasiões em que os jogadores estavam isolados: Bruno Lourenço atirou por cima e Chiquinho ao lado, por duas vezes.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.