O Benfica recebe esta quarta-feira o Sp.Covilhã, em partida da 3.ª e última jornada da fase de grupos da Taça da Liga, na qual terá de vencer por três golos de diferença para ultrapassar o V.Guimarães na frente do Grupo e assim garantir um lugar na 'final four' da competição.

Na antevisão ao encontro, Jorge Jesus, treinador das 'águias', reconheceu que poderá haver alguma ansiedade entre os seus jogadores e abordou também outros assuntos da atualidade do clube encarnado.

"É verdade, nós para estarmos na 'final-four', sabemos que pelo menos três golos temos de fazer. Não vai ser fácil, mas acreditamos que temos criatividade ofensiva para desbloquear a equipa do Covilhã e ir à procura de fazer mais que os dois golos. Mas o jogo vai dizendo como nós poderemos montar uma estratégia. É um objetivo de todas as equipas, dos nossos rivais, está já um de fora, estar na final-four. Nós também queremos e vamos fazer tudo para conseguir. Não vai ser fácil, vamos ter de jogar muitas vezes no risco, taticamente, mas isso já está pensado e foi trabalhado", começou por dizer.

"Para o Covilhã, em termos de objetivos, o jogo não conta. É para uma competição na qual o resultado que possa acontecer não lhe dará hipótese de se apurar. Mas vamos encontrar uma equipa a defender muito, a tentar que não possamos desbloquear a sua organização defensiva, que não possamos fazer os tais três ou mais golos, vai estar sempre serena porque estar a perder por 1-0, 2-0, vai perceber que não é aquele o objetivo do Benfica. Vai ser um jogo onde o adversário vai tentar jogar para não perder por mais de três", acrescentou.

"O jogo de amanhã implica nós assumirmos uma estrutura tática defensiva de risco. Se jogas com uma linha de quatro é uma coisa. Hoje já fizemos a nossa convocatória e Otamendi e Vertonghen deixam-me intranquilo porque não sei muito bem se vale a pena arriscar pô-los a jogar. Sendo assim, quem nos sobra? Sobra-nos o Ferro, o Morato e o menino, o Tomás, e se tivermos de ir ao risco total, vamos. Os jogadores do Benfica estão habituados a isso", disse ainda Jesus.

A evolução do Benfica

O técnico das 'águias' falou ainda da forma como a sua equipa vem progredindo ao longo da época. "Nós treinadores procuramos durante a época, semana a semana, mês a mês, tentar evoluir as ideias de jogo da equipa, defensiva e ofensivamente. Neste momento, o Benfica fez seis golos nos últimos jogos, o que é muito bom, mas tem de saber manter essa qualidade durante o jogo, a intensidade que temos durante os primeiros 20 minutos das duas partes. Estamos a trabalhar para deixar de ter essas quebras", explicou.

Embate com o Ajax para a Liga dos Campeões

O sorteio dos oitavos de final da Liga dos Campeões. realizado segunda-feira, também foi motivo de conversa. "Para nós é gratificante estarmos num sorteio da Champions, todos curiosos para saber quem nos calha. É um bom sinal para mim e para o Benfica. Já há muito tempo que não estava nos oitavos da Champions. É um momento muito forte, para mim, para todos. Há que aceitar o sorteio e jogar contra um adversário que conhecemos, que jogou no grupo do nosso rival, que teve um percurso só de vitórias, que faz muitos golos, fez nove ao nosso rival. São sinais evidentes de que são fortes, mas temos tempo para pensar nisso", lembrou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.