O FC Porto venceu o GD Chaves na terceira e última jornada do grupo D da Taça da Liga por 2-4, somando a terceira vitória e garantindo o primeiro lugar do grupo que dá acesso à final a quatro do próximo mês de janeiro da Taça da Liga na cidade de Braga.

Os 'dragões' juntaram-se assim a Sporting, Vitória de Guimarães e SC Braga, sendo que irão defrontar a equipa de Guimarães na meia-final da prova que tem escapado à equipa de Sérgio Conceição.

O Jogo: Soares voltou a atacar

Sérgio Conceição mexeu sete peças em relação ao onze inicial utilizado frente ao Santa Clara para a Taça de Portugal (vitória por 1-0) e apenas Diogo Costa, Manafá, Corona e Nakajima se mantiveram num onze que contou com a presença de Danilo.
O FC Porto queria a terceira presença consecutiva na 'Final Four' e rapidamente tratou de começar a colocar golos na conta e logo pelo pior pesadelo da equipa transmontana.

Soares. Tiquinho Soares.

O brasileiro voltou a marcar a uma das suas 'vitimas' preferidas e fez o primeiro logo aos oito minutos, quando Corona, pela direita, cruza para a cabeça do avançado que coloca a bola no fundo da baliza de Igor.

Aos 16 minutos, num lance tirado a papel químico, mas desta vez a ser Nakajima a surgir pela direita e a servir Tiquinho para, de cabeça, 'bisar' na partida e aumentar a vantagem dos 'dragões' antes dos 20 minutos de jogo.

Com o 'bis' deste domingo, o avançado brasileiro passou a somar nove golos ao Chaves com a camisola do FC Porto, passando a ser o melhor marcador dos jogos entre 'dragões' e 'flavienses'.

O Chaves, que precisava de vencer para passar à 'Final Four', viu-se com uma tarefa complicada cedo no jogo, tarefa essa que não se facilitou quando Jefferson, aos 25', pisou Soares dentro da grande área, com Carlos Xistra a assinalar grande penalidade a favor do FC Porto.

Marega foi chamado à cobrança e viu a sua primeira tentativa a ser parada pelo guardião transmontano, contudo na recarga fez, mais uma vez de cabeça, o terceiro do FC Porto, que colocava os 'dragões' com pé e três quartos na 'Final Four'.

O FC Porto estava já com a cabeça na 'Final Four' graças às cabeças de Soares e Marega, enquanto o Chaves tentava responder, mas mostrava pontaria desafinada e na única vez em que a pontaria foi a correta, surgiu Diogo Costa, que aos 41 minutos fez uma grande defesa ao remate de Hugo Basto e evitou o primeiro dos transmontanos.

Depois do intervalo, Sérgio Conceição tirou Danilo, que se mostrou apagado, colocando Otávio no seu lugar.

Os 'dragões' iam tendo mais bola e causando mais perigo, mas foi o Chaves a dar início a uma chuva relâmpago de três golos em cinco minutos.

Perda de bola no meio-campo portista, com os 'flavienses' a darem início a um rápido contra-ataque. Batxi recebe na direita e coloca rasteiro para Platiny, que rematou para o primeiro do Chaves na partida, colocando também fim à série de jogos que o Diogo Costa levava sem sofrer golos aos 79 minutos.

Os 'dragões' viram a vantagem reduzida para dois golos, mas Luís Díaz (entrado aos 64 minutos) não gostou e tratou de repor a vantagem nos três golos.

Fábio Silva, que tinha entrado em campo há pouco mais de dois minutos, passa por três defesas e coloca no colombiano que finta Hugo Basto e chuta para o 1-4, aos 80 minutos.

O Chaves procurava diminuir a diferença e em menos de 5 minutos voltou a marcar, desta vez por André Luís.

Platiny, com um grande passe, coloca a bola no avançado brasileiro que frente a Diogo Costa não falhou e fez o segundo dos transmontanos na partida.

Depois desta chuva de golos, o resultado não voltou a mexer e o FC Porto repete uma vitória que já no início do ano tinha conseguido.

A 17 de janeiro, o FC Porto venceu em Chaves por 1-4, na altura a contar para a I Liga, com três golos de Soares e um golo na própria baliza de Nuno André Coelho. 338 dias depois, no último jogo do ano, os 'dragões' voltam a sair de Chaves com a vitória no saco, é certo que por outros números e noutra competição, mas com Soares a cumprir a tradição dos últimos três anos e a marcar nas visitas a Trás-os-Montes.

O Momento do Jogo: Minuto 16, golo de Soares

Numa altura em que chegava ao fim um ciclo exigente de oito jogos para o FC Porto em quatro competições diferentes, quanto mais rápido se marcar melhor e se forem dois então melhor ainda. Soares tratou do assunto e deixou os 'dragões' bem perto da próxima fase da Taça da Liga, com menos de 20 minutos no relógio.

O Pior: Danilo

O internacional português têm vindo a diminuir o rendimento e infelizmente para o jogador e para o FC Porto este jogo não foi excepção. Enquanto esteve em campo demonstrou intranquilidade e esteve abaixo daquilo que se espera e do que já se viu do jogador. Foi admoestado com um cartão amarelo aos 23 minutos e saiu ao intervalo.

O Melhor: Soares

O avançado brasileiro voltou a 'atacar' a sua vítima preferida e com dois golos ainda antes dos 20 minutos de jogo colocou o FC Porto com 'pé e meio' na 'Final Four', evitando possíveis sobressaltos e dando alguma tranquilidade à equipa desde cedo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.