Cristiano Ronaldo pode cumprir no domingo o seu milésimo jogo como profissional de futebol, um marco que não passou em branco à Juventus, que também tem motivos para festejar e que salientou à Lusa a importância do momento.

“Ter connosco um campeão como CR7 é um testemunho importante do crescimento deste clube, tanto ao nível económico como de fascínio internacional. Cristiano Ronaldo é um motor para as ambições, reconhecimento e visibilidade da nossa marca”, manifestou a Juventus à agência Lusa, realçando o crescimento comercial do clube italiano desde que Ronaldo aterrou em Turim, no dia 15 de julho de 2018.

Campeão de Itália nos últimos oito anos, o emblema de Turim reconhece que, “com Ronaldo, a Juventus alcançou uma dimensão global diferente”.

“A presença de Cristiano Ronaldo permitiu ao clube consolidar o próprio posicionamento entre os clubes de topo mundial, como testemunham os novos acordos comerciais de patrocínios realizados e o exponencial aumento da base de fãs do clube nas redes sociais, que hoje está entre os cinco mais seguidas no mundo”, frisou o clube.

A disponibilidade do avançado português para o encontro entre Juventus e Milan, no Allianz Stadium, a contar para a 12.º jornada da ‘Serie A’, ainda não está confirmada. O treinador da Juventus, Maurizio Sarri, manifestou hoje alguma precaução, devido a uma dor num joelho manifestada por Ronaldo, e adiou a decisão do milésimo jogo para domingo.

“Não tem nada de grave, só uma pequena dor no joelho que o desequilibra ligeiramente na corrida. Vamos ver como está amanhã de manhã”, afirmou Sarri em conferência de imprensa.

Cristiano Ronaldo disputou 56 jogos e marcou 34 golos pelo clube ‘bianconero’, com o qual tem contrato até 2022. A Juventus, através do seu diretor desportivo, Fabio Paratici, já disse ter a máxima confiança na permanência de Ronaldo até essa data, quando terá já completado 37 anos. Até lá, o principal objetivo é a conquista da Liga dos Campeões.

Nesse sentido, o defesa defesa Medhi Benatia, jogador da Juventus durante três épocas e desde janeiro ao serviço do Al Duhail, do Qatar, disse à Lusa que, “quando se jogam duas finais em cinco anos e não consegue vencer nenhuma, perde-se um pouco confiança”, mas “com a chegada do Ronaldo, o grupo ganhou mais autoestima”.

“É como se tivesse chegado o homem dos milagres, que ganhou tudo, que conseguiu recordes inimagináveis, que alcança o que mais ninguém consegue. Não tenho dúvidas de que a ‘Juve’ tem agora mais hipóteses de vencer na Europa”, acrescentou Benatia.

Apesar dos recordes, do título europeu com Portugal, das cinco Ligas dos Campeões e outras tantas Bolas de Ouro no currículo, Benatia diz que Ronaldo deu um grande exemplo ao grupo com a sua humildade e dedicação.

“Ronaldo não fala muito, sabe ouvir os outros. Mostrou-se muito curioso, quis entender o que era o mundo Juventus. Colocou-se à disposição do grupo, treinava como todos, aliás, diria até mais do que todos, e é um exemplo de humildade. As pessoas acham que é arrogante, mas não é. Ele demonstra autoestima e confiança, mas é uma pessoa muito simples”, concluiu o defesa central, que admite falar regularmente com Ronaldo ainda hoje.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.