Eduardo Salvio tentou, esta sexta-feira, fazer luz sobre o incidente do alegado atropelamento da ex-mulher Magalí Aravena, na última madrugada, numa rua em Buenos Aires.

"Gostaria de esclarecer que nos separámos no início de março. Tivemos um jantar em que a separação ficou clara em bons termos. No início, morámos juntos, mas separados, cada um dormia em quartos diferentes com os meninos. Ela finalmente mudou-se cerca de 12 dias depois", começou por contar o ex-jogador do Benfica ao Ministério Público argentino e citado jornal argentino Olé.

As coisas acabaram por descambar assim que a atual namorada, Sol Rinaldi, começou a publicar fotos com o extremo no Instagram.

Salvio explica que a relação com a ex-companheira deteriorou-se quando a atual namorada, Sol Rinaldi começou a publicar fotos do extremo na conta do Instagram.

"Imediatamente liga-me minha ex-mulher. Fui conversar para a casa de banho. Disse-me: 'filho da p***, vou dar cabo da tua carreira, vais jogar para a Nigéria, tira-a da minha casa'. Pedi, por favor, que me deixasse viver a minha vida e foi aí que comecei a ouvir os meus filhos e ela disse-lhes: 'mudem de roupa, vamos ver o vosso pai, a merda do vosso pai'", disse.

Salvio explicou então o momento do atropelamento: "Quando ela chegou onde eu estava, começou a atacar-me e a partir o carro. Saí, dei a volta e fiquei na curva. Eu nunca fugi. Eu fiquei na curva. É verdade que eu estava nervoso, não sabia que isto ia acontecer. Por volta das quatro da manhã, recebi mensagens da Magalí a ameaçar-me, a dizer que ela ainda não tinha ido ao tribunal, que se eu desse um passo em falso iria contra mim".

"Ela ligou-me e disse que eu a atropelei, que a magoei, que queria matá-la e deixei claro que nunca foi assim. Ela disse que só podia ficar com ela, que queria que nós quatro ficássemos juntos e não podia aceitar que eu estivesse com outra mulher", atirou.

Confirmou ainda que deixou o local do acidente por ter treino no dia seguinte. "No início do vídeo vê-se alguém a cair, é ela que, depois de dar três pontapés, saltou para trás. Ela saltou, não caiu. Quando ela saltou, eu fiz marcha-atrás para sair e ela veio a correr em direção ao carro, ao lado da janela traseira do lado direito", referiu.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.