Depois de ter arquivado o processo de inquérito instaurado na sequência do caso do túnel do Jamor, que envolveu Pedro Ribeiro, à altura treinador do Belenenses SAD, e  Sérgio Conceição, técnico do FC Porto, o Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol tornou público o acórdão no qual são especificadas as razões de não se terem registado quaisquer punições.

De acordo com o documento, Pedro Ribeiro confirmou a agressão, mas não foi capaz de identificar o autor da mesma. "Muito embora se encontre fortemente indiciado que Pedro Ribeiro sofreu uma ofensa à sua integridade física, o certo é que, quanto ao agente que a perpetuou, não é possível concluir pela existência de indícios da sua identidade", pode ler-se.

O testemunho do próprio Pedro Ribeiro não ajudou a esclarecer a situação: "Quando o depoente [Pedro Ribeiro] se encontrava no final do patamar que intermedeia as referidas escadas, enquanto várias pessoas caminhavam entre si e Sérgio Conceição, sentiu um soco com que foi atingido do lado esquerdo do queixo, e que veio dessa mesma direção. Perguntada ao depoente [Pedro Ribeiro] a identidade dos membros dos staffs técnicos das equipas que estavam no local nesse momento, este disse não poder precisar. Sabe quem são vários deles, naturalmente, porém, não tem noção precisa de quem, no preciso momento em que foi desferido o soco, se encontrava junto a si."

Hélder Batista e Celso Simão, treinador adjunto e funcionário do Belenenses SAD, respetivamente, disseram não ter presenciado qualquer contacto físico entre Pedro Ribeiro e Sérgio Conceição, embora Simão tenha visto "um punho a embater na face de Pedro Ribeiro", sem conseguir identificar o autor da agressão.

Recorde-se que Sérgio Conceição já tinha afirmado, numa entrevista ao canal 11, que não tinha agredido Pedro Ribeiro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.