Depois de um hora de atraso devido ao mau tempo que se fazia sentir em Chaves, os jogadores entraram em campo às 21h20. O Benfica inaugurou o marcador pelos pés de Rafa logo aos três minutos, um resultado que se manteve até ao intervalo. Já aos 75 minutos, Ghazaryan lança uma bomba à baliza de Vlachodimos e faz o empate. Mas, as emoções fortes estavam guardadas para os minutos finais da partida. No minuto 84, Rafa bisa e coloca o Benfica de novo na frente do marcador, mas foi sol de pouca dura e no minuto final Ghazaryan troca novamente as voltas ao guarda-redes do Benfica e fixa o empate.

O jogo: O dilúvio de Chaves faz escorregar o Benfica

Depois de estar em risco de ser adiado, o jogo desta quinta-feira aconteceu e proporcionou um serão de bola aos amantes do futebol. Foram 90 minutos de muitas emoções e com a equipa de Daniel Ramos a fazer frente ao Benfica.

Apesar de sofrer um golo nos momentos iniciais da partida, o Chaves encheu o peito e arrancou para um jogo de bastante qualidade por parte da equipa da casa. Os flavienses pressionaram o Benfica e tentaram a todo o custo roubar a bola ao adversário.

Com uma posse de bola muito equilibrada e com um ritmo de jogo muito elevado, o Desportivo de Chaves provocou dificuldades aos 'encarnados', que tentaram sempre manter a vantagem com bastante eficácia. Valeu ao Benfica o guarda-redes Vlachodimos que segurou as tentativas dos homens flavienses.

Antes da meia hora de jogo, o Chaves crescia no jogo, aumentava o ritmo, segurava a bola e com uma boa ligação entre o meio-campo e a frente de ataque, criava reais dificuldades ao Benfica. Mas, a equipa de Rui Vitória acordou a tempo e conseguiu equilibrar a partida, deixando os 'encarnados' mais confortáveis em campo.

Depois do intervalo, as 'águias' voltaram com a força máxima e com vontade de manter a vantagem, no entanto, nem tudo correu como planeado. Gabriel ganhava bola no meio-campo e Seferovic segurava as pontas. O Benfica arrancava as oportunidades dos pés dos flavienses que mostrava dificuldades no jogo apoiado.

O golo de Ghazaryan veio transformou o jogo por completo. Ambas as equipas ficaram em alerta máximo e começavam a escassear as hipóteses do Benfica se isolar na liderança do campeonato. Aos 84, Rafa aproveitou o espaço deixado pela defensiva transmontana e fez o 2-1.

Já se 'lançavam foguetes' com a vitória no horizonte, quando Ghazaryan voltou a arrancar a esperança 'encarnada' ao fixar o empate. Um jogo de emoções (muito) fortes, muito equilibrado e de mérito para os jogadores flavienses que conseguiram segurar as armas benfiquistas.

O momento: Uma entrada em grande

Logo aos três minutos de jogo, Rafa deu alegrias aos benfiquistas e fez o golo que poderia ter dado a vitória ao Benfica. Depois de uma hora de espera para o inicio da partida, Rafa não quis esperar mais e lançou-se ao marcador no seguimento de uma recuperação de bola. Cervi percorreu o campo pela esquerda e cruzou para Rafa que finalizou sem hipótese para Ricardo.

Os melhores: Rafa bisou, mas Eustáquio equilibrou os transmontanos

O jogador português bisou no Estádio Municipal de Chaves e foi uma peça fundamental no jogo desta quinta-feira para a equipa de Rui Vitória. Sempre pronto a desequilibrar e focado em procurar o golo, Rafa foi a referência do ataque 'encarnado'. Do outro lado da barricada, o coração do Chaves foi o médio português de 21 anos Eustáquio. No entanto foi Ghazaryan quem mais deu nas vistas. Tal como Rafa, o arménio bisou e procurou desequilibrar o adversário.

Os piores: Conti teve estreia amaldiçoada

Com a lesão de Jardel, Conti entrou em campo e vestiu pela primeira vez a camisola do Benfica. Numa noite que prometia ser memorável para o argentino, o pior acabou por acontecer. Já nos minutos finais, uma entrada dura de carrinho sobre João Teixeira. Acabava mal para Conti o primeiro jogo pelos 'encarnados', por um descuido desnecessário.

A polémica: Flavienses reclamam do VAR

Aos 66 minutos a equipa do Chaves reclamou penálti, mas o árbitro mandou seguir. Um lance dividido entre Franco Cervi e Paulinho na grande área provocou assobios nas bancadas da equipa da casa. João Capela recorreu ao VAR, mas nada assinalou.

As reações:

Rui Vitória critica João Capela: "Se dissesse tudo o que me vai na alma..."

Daniel Ramos: "Fizemos um jogo que nos faz encher a alma"

Rafa Silva: "O importante não é o individual"

Eustáquio: "Se ganhássemos, não era de todo errado"

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.