O FC Porto desloca-se esta sexta-feira a Paços de Ferreira, em jogo relativo à 6.ª jornada da I Liga. Na antevisão à partida, Sérgio Conceição comentou a possibilidade de o futebol sofrer uma nova paragem devido ao aumento de casos de COVID-19 e refletiu sobre o terceiro lugar que a equipa ocupa na tabela classificativa.

Eventual nova paragem devido à pandemia: "A minha principal preocupação é a de todos os portugueses. É o facto de este vírus tirar muitas vidas e complicar a vida de toda a gente, de as pessoas andarem num estado que não é normal. Se vai parar ou não, se o público volta, não me cabe olhar para isso. Claro que gostava de ter público, foi reconfortante voltar sentir e ouvir o público. Mas olhamos para a realidade... Veja-se o jogo do Marselha, que foi adiado porque existem mais de 10 casos na equipa que ia jogar contra eles. Não podemos dissociar o futebol desta pandemia. Estou esperançado que se encontre uma cura para contrariar este maldito vírus."

Renovações no plantel: "Não fui informado sobre quem ia renovar. Não sei quem será, não tive qualquer conversa com o presidente sobre isso. As renovações fazem parte da vontade do presidente e da administração."

Mais soluções este ano? "Durante estes três anos vá ver a equipa que tivemos a partir do meu primeiro ano, os jogadores de grande qualidade que saíram na defesa. O Militão, o Felipe... Foram mais-valias para o clube, estou aqui para isso. Não podemos dizer com o estado de coisas ao nível geral é uma maravilha num clube que está há três anos sob a alçada do fair play financeiro."

Nakajima: "Temos vários departamentos a trabalhar connosco sobre o lado emocional do jogador. Temos depois uma equipa médica e departamento que ajuda os jogadores a recuperar da melhor forma. O jogador sente-se verdadeiramente integrado quando começa a jogar. A melhor vitamina para um jogador é jogar e sentirem parte do grupo."

FC Porto em terceiro lugar à 5.ª jornada: "As vitórias são sempre obrigatórias mesmo que estivéssemos em primeiro. Estou a dizer uma banalidade mas é a realidade, não há nada a fazer. Temos de ganhar para olhar para o segundo lugar e quando estivermos em segundo temos de ganhar para olhar para o primeiro lugar. Temos de ir atrás dessa perda de pontos que não estava na nossa ideia. Mas sobre o passado já não há nada a fazer, apenas podemos olhar para o jogo de manhã, que pode condicionar o nosso futuro. Não devíamos nem podíamos ter perdido pontos, faltou-nos alguma pontinha de sorte, mas não quero agarrar-me a isso. Sou pragmático na minha análise. Agora é não cometer os mesmos erros e olhar para o jogo de amanhã como mais uma final, porque senão depois não há tempo para recuperar."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.