Rubén Amorim foi contratado pelo Sporting ao Sporting de Braga em finais de fevereiro com o objetivo, reconheceu a atual direção 'verde e branca', de começar já a conhecer o plantel e assim delinear desde cedo a próxima época. Contudo, a interrupção forçada da competição, em virtude do novo coronavírus, fez com que esses planos saíssem 'furados' e o técnico teve, até agora, poucos dias para trabalhar com os atletas.

Algo que, naturalmente, limitou a possibilidade de perceber quais as lacunas dos jogadores e o que era preciso alterar, sobretudo com vista à próxima época, na tentativa de implementar na equipa o seu sistema tático preferido, o 3x4x3. Assim, de acordo com a edição desta segunda-feira do jornal 'O Jogo', para compensar essa situação Rúben Amorim tem passado os dias de 'quarentena' a (re)ver vídeos dos jogos do Sporting desta temporada que precederam a ua chegada, em especial aqueles em que os seus antecessores - Marcel Keiser, Leonel Pontes e Silas - tentaram também a mesma formação tática.

Segundo aquela publicação, Amorim tem dado especial atenção a esse enquadramento nas suas análises, embora esteja igualmente atento aos aspetos técnicos, dada a impossiblidade de aferir tal vertente 'in loco', junto aos jogadores

Entre os anteriores jogos dos 'leões' a que Amorim está a dar mais atenção estarão então partidas em que o Sporting atuou em 3x4x3, como a Super Taça, com o Benfica (derrota pesada, por 5-0) logo a abrir a temporada, mas também outras em, com igual sistema tático as exibições até foram mais positivas, como os triunfos sobre LASK, Rosenborg, Belenenses e Portimonense, ou até a derrota ante o Braga (curiosamente ainda orientado por Rúben Amorim), por 1-0, para a I Liga.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.