O horário do início de jogo foi adiado duas vezes e até chegou a ser aparentemente cancelado, levando vários adeptos a abandonar o estádio.

A informação foi corrigida e o jogo remarcado para as 21:30 locais (mais uma hora em Portugal continental), depois de se ter arranjado uma solução de recurso: utilizou-se pó de pedra (aplicado à mão) para definir as linhas do campo.

No entanto, depois de uma nova reunião entre as equipas e os delegados da Liga, este organismo avançou a informação de que a partida seria adiada para domingo às 16:30 locais.

“Tentámos reunir as condições regulamentares para a realização do jogo. Fizemos todas as tentativas possíveis, entretanto choveu imenso em São Miguel praticamente nos últimos quatro dias, o que dificultou imenso a marcação do campo e o jogo foi reagendando para amanhã [domingo] às 16:30 horas”, declarou o presidente do Santa Clara, aos jornalistas, após o jogo ter sido adiado.

Rui Cordeiro explicou que “não houve aplicação de cal viva” no relvado, mas sim de “pó de terra”, e recordou que a chuva persistente faz parte dos “riscos de viver numa ilha”.

“Agora, vamos esperar que o tempo melhore”, acrescentou, deixando um agradecimento, “pela paciência”, aos “adeptos incansáveis”, que aguardaram durante quase três horas pelo retomar do encontro.

“Também peço que fique registado que não foi por culpa do Santa Clara que o jogo não se realizou, foi por falta de condições da chuva”, reforçou o presidente do emblema açoriano.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.